Google+ Followers

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Pimentas do Nordeste / Carne-seca ao Abacaxi

Foto de Carla Freire


Ingredientes
1 xícara(s) (chá) de açúcar
1 xícara(s) (chá) de água
12 fatia(s) de abacaxi
3 colher(es) (sopa) de Azeite 
quanto baste de cebolinha verde picada(s)
2 dente(s) de alho amassado(s)
400 gr de carne seca cozido(s) e desfiado(s)
1 colher(es) (sopa) de pimenta de cheiro
2 xícara(s) (chá) de iogurte desnatado
quanto baste de coentro picado(s)
Modo de preparo
Ferva o açúcar com a água por 15 minutos. Deixe esfriar. Passe as fatias de abacaxi por este xarope. Escorra e reserve. Unte uma assadeira antiaderente com óleo, ponha o abacaxi e asse em forno baixo até ele ficar crocante (90 minutos). Vire-o de 10 em 10 minutos com uma espátula. Aqueça o azeite e refogue a cebola e o alho. Junte a carne seca e a pimenta e reserve. Bata o coentro e o iogurte no liquidificador e reserve. Para montar os pratos, repita três vezes, em cada prato, o seguinte processo: coloque 1 rodela de abacaxi, uma porção da carne seca refogada e regue com molho de iogurte. Salpique com coentro e pimenta de cheiro. Sirva.

Raridade


A raridade
A Arara
é uma ave rara, pois o homem não pára
De ir ao mato caçá-la, para pôr na sala.
Em cima de um poleiro...
Onde ela fica, o dia inteiro
Fazendo escarcéu, porque já não pode
Voar pelo céu.

E se o homem não pára
De caçar arara
Hoje uma ave rara
Ou arara some
ou então muda seu nome
Para a rara.

"A raridade" de José Paulo Paes.

Ora Pois!

A Ilha do cacau fica nas Maldivas. Lembra? Isso mesmo. É aquele lugar que todo mundo sonha em ir um dia

Leia mais: http://www.mundogump.com.br/dez-ilhas-interessantes/#ixzz13iS04GYO
Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial

Se Eu quiser falar com Deus

 
Elis Regina canta Gilberto Gil

Xiquexique

Tom Zé / Brasil

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Tom Zé


Zeca Baleiro


Cartoon Ecológico

José Luis

As Pedras da sua Loca


Maria Bonita era bonita
Acompanhava o seu amado 
Nos lajeiros pelas estradas 
Maria Bonita não se conformava

Amélia era mulher de verdade
Passava fome de comida
Passava ferro e lavava
Amélia tinha sexo todo dia

Anayde Beiriz
Escandalizou a Paraíba
Como amante de João Dantas
Amor e pecado corriam juntos
Anayde Beiriz gozou e se envenenou

Zabé da Loca ainda chora
Às vivas recordações
Dos terreiros sem banheiros
Das pedras de sua loca
Zabé, ainda chora à falta de seu homem


Riso Maria Dersu / Brasil

Amigos e suas....ARTES


Ana Lucia Mendina/Brasil

Provérbios Africanos


A amizade é um caminho que desaparece na areia, se não se pisa constantemente nele."
"As pegadas na areia do tempo não são deixadas por quem fica sentado."
"Ninguém experimenta a profundidade de um rio com os dois pés."
Provérbio Macua - Moçambique

Frases


 O amor nunca se perde. Ainda que não seja recíproco, voltará para purificar e fazer terno seu coração.
(Washington Irving)

Paul Simon I know what I know

john lee hooker & carlos santana - chill out

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Seca


caminho numa estrada deserta

sigo placas sem seta,

horizontes sem fim

a chuva quase nunca desperta

quando a sede resseca um açude em mim


e um grito quase desesperado

sinto as dores de um parto que não tem fim

a chuva quase nunca desperta

quando a sede resseca um açude em mim

é seca que não tem fim


queria ter coragem pra poder atravessar

a terra que o céu não tem pena de molhar


ali que mora toda lembrança

num olhar de esperança que não tem fim

quem sabe um dia Deus me ajude

nessa seca rude que vive em mim

é seca que não tem fim...

Poema de BONA AKOTIRENE
Foto de Sebastião Bisneto

É Forró do Bom

Juan Luis Guerra - La llave de mi corazon

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

sábado, 23 de outubro de 2010

Há Lugares....ASSIM



Zanzibar/Tanzânia/África

Amor...e uma Cabana!

PARAÍSO AFRICANO

Os habitantes de Mnemba são apenas os hóspedes do Mnemba Island Lodge e o staff do hotel.
Quer dizer, além dos habitantes naturais desse pequeno paraíso situado na ponta de Zanzibar: peixes e criaturas do mar de todas as formas e cores, tartarugas verdes, pássaros raros, um ou outro antílope que costuma aparecer ao por do sol...
Cercada por corais, Mnemba é uma área preservada, onde só entram os privilegiados hóspedes do Lodge, criado pela companhia de turismo de aventura de luxo Beyond&.
São apenas dez acomodações, que pontuam as areias finas e brancas do local. Cercadas pela mata local, as cabanas de sonho representam o luxo da descontração e da simplicidade com conforto e beleza.

Lá fora, o brilho do sol refletido na areia branca e no mar azul-profundo. E o espetáculo de peixes, anêmonas e seres aquáticos, nos imperdíveis programas de mergulho oferecidos pelo hotel.
E o convite para o simples desfrute de relaxar nas cadeiras de praia, antes do jantar ao ar-livre, à luz de velas e sob o magnífico céu estrelado da África.


Como esconder um Elefante

Música




Joss Stone e Dean Martin

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Amigos e suas....ARTES


Intermináveis portas de um labirinto cego , assim o amor vai surgindo dentre os gritos da floresta dos sentidos do ser.

Quem terá a coragem de limitar a forma dos desejos e a alquimia que transforma o medo?

Porque se descobre a cada instante alguma pergunta pudicamente nua escondida na inocência 

Então não vislumbramos cores de uma tela abstrata e toda música escapa espavorida dos sonhos

Diz-me agora, quando foi que esquecemos o jornal numa plataforma sem trens?

Em que momento uma folha seca de outono parou exausta de lutar contra o vento?

Quando foi que a última gota do suor do teu sexo afogou o mistério de Eros?

Sinto que não há horas marcadas por fagulhas de fogo e nem beijos tão eternos que não perdoem o pecado do tempo

Uma luz espera na orfandade da noite

Eu também espero...

Flavio Pettinichi / Brasil
Foto de Carla Freire

SIMONE - SÓ UMA PALAVRA

domingo, 17 de outubro de 2010

Angola em Poesia

Artes

Melissa Haslam/Austrália

Tell Me

Los poetas andaluces de ahora - Água Viva

Humor

Formigas




Formigas


Às vezes fico aqui
A observar as formigas
Que vêm e que vão

Sem intrigas
Sobre o corre mão da escada
A procura de nada.

Migalhas de vida a esmo,
Sem sossego!

E no verão 
É aquela confusão de vais e vens 
E antenadas
A dizer umas às outras
Onde estão os restos das ostras
E das cocadas.

Às vezes
Formigas têm asas
E aí saem do chão em brasa
Do sertão,
E voam a encontrar do mar
A direção.

Porque às vezes é bom sair de casa,
Outras vezes, não.

Enfim, ser ou não ser formiga?
Eis uma questão antiga.

A mais bela poesia que alguém fez para mim

INEVITÁVEL SER


Irei amar além da simples vida, meu querido alento

Ora! Já a sentia dantes saber-te neste raso mundo

Conheço hoje que os sonhos desrespeitam o tempo

Respiro agora lembranças teu sorriso imenso e fecundo

Nossas quimeras têm conteúdo, esse ar é evidência

Sinto-te eterna e terna embora de toque distante

Tal qual espíritos irmãos sintonizados nessa existência



Onde grinaldas e pitangas enfeitam minha dor amante

Fêmea que brota flores e germina meus inatos amores

Com deliciosos beijos sabores loucos de tropicais frutos

Em fotos nuas, nós animais multicoloridos pecadores

Fortalecendo meus ossos abrindo meu olhar inculto

Terminando as minhas frases e eu as tuas, pura apatia

Entre outros acordes nossa afinação parece um mito

Euripedes Gomes/Paraíba/Brasil

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Frase da Semana



"Sou totalmente a favor do casamento gay entre actuais políticos  ... Tudo o que contribuir para que eles não se reproduzam, é bom para o País. "

Diane Schuur ft. Herbie Hancock I just called to say I love you (live)

Maria Bethania - Loucura

Poesia Angolana



Sol no muceque
Redonda lâmpada acesa
a amarela luz alastrando-se
por sobre o zinco das cubatas
Os fartos cabelos
das mulembeiras
raparigas cartando água
no chafariz
Meninos de barriga inchada
brincando com bola ou
tampas de garrafa

 (Poemas angolanos)
João Melo

Tribos do OMO-Etiópia-África

Nos limites da Etiópia, a séculos de modernidade, Hans Sylvester fotografados durante seis anos de tribos onde homens, mulheres, crianças, idosos, são gênios de uma antiga arte. 

A seus pés, o rio do OMO, astride um triângulo Etiópia-Sudão-Quênia, a grande Rift Valley que separa lentamente a partir de África, uma região vulcânica, que oferece um vasto leque de pigmentos, vermelho ocre, branca caulim, cobre verde, amarelo ou cinza claro cinza.
Eles têm o gênio da pintura, e os seus corpos de dois metros de altura é uma enorme lona. A força de sua arte reside em três palavras: dedos, velocidade e liberdade. Eles chamar abrir mãos, a ponta das unhas, por vezes com um pedaço de madeira, uma palheta, uma haste esmagados. 

Apenas a vontade de decorar, para seduzir, para ser bonita, um jogo e um prazer permanente. Eles só têm de mergulhar os dedos na argila e, em dois minutos, sobre o peito, seios, região pubiana, pernas, é nada menos do que um nascido Miro, Picasso, Pollock, um Tàpies, um Klee…




terça-feira, 12 de outubro de 2010

Poesia



razão
nenhuma



o que escrevo
é apenas parte

do que sinto

a outra parte
finjo que minto
e acredito

(do livro Sem Meias Palavras, Editora Idéia-PB, 2002 - Lau Siqueira/João Pessoa/Brasil)
Foto de JuanluPozo editada por Carla Freire

FLOR DE IPÊ


A FLOR NACIONAL
FLOR DE IPÊ
As calçadas revestidas de flores
Dos Ipês anunciam a primavera
Com tapetes macios e multicores
Caídas das árvores ora amarelas,
Outras horas roxas e aos arredores,
Vemos as rosas lançar à atmosfera
Pétalas como as brancas sem odores,
Mas que pintam uma bela aquarela
Com o verde das matas e as cores
Do límpido céu azul da esfera
Global que envolve com seus vapores
O ar e as águas dos rios que nesta era
Poluída servem como betabloqueadores
Que filtram, limpam como se espera...
O céu e as águas do Brasil.

Joe Cocker - Hymn For My Soul - Live

Vem Comigo

Vem prá mim que eu te conserto
Segura na minha mão e eu te levo
 prá conhecer as estrelas
Não deixo nenhum mau humor chegar
Comigo todos os caminhos são alegres
Porque de risos enfeito meus dias
Vem comigo e te ensino a voar
E te mostro o brilho que há
nos rios e no mar
Nos Ipês de setembro
Nas noites de lua cheia
No cheiro de terra quando a chuva cai mansa
Vem comigo que danço contigo
A música que tenho em mim
Vem que te ensino a cantar
sonhar
e dançar a valsa da vida
vivida com sonho
na leveza do vento
de quem aprendeu
que o amor
faz da realidade
uma valsa lenta
que não tem fim
quando se baila junto
no sonho de amar.
Vem comigo
E cada dia teu será novo
no riso que trago toda manhã!!!

Autor Desconhecido