Google+ Followers

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Sugestão de Fim de Semana

Um show de Forró autêntico a não perder no Ponto de Cem Réis em João Pessoa (Sexta 3 Dezembro e Sábado 4 Dezembro)

Flores da Paraíba


Foto de Carla Freire

Affonso Romano Sant'Anna


Outra presença marcante na 1ªEdição da Feira Internacional do Livro em João Pessoa foi a do escritor Affonso Romano Sant'Anna,um dos nomes mais sonantes da actual literatura Brasileira.
Professor,poeta,escritor,jornalista,falou de tudo um pouco e prendeu a atenção dos presentes no Teatro de Arena do Espaço Cultural.
No final conversei com Affonso e trouxe para casa o livro "Que País é esse?" autografado e com dedicatória!
Simplesmente maravilhoso!
Saiba mais sobre o Escritor em:

http://www.affonsoromano.com.br/

Foto de Eurípedes Gomes

Nélida Piñon


Super agradável a  passagem da escritora Nélida Piñon na 1ªEdição da Feira Internacional do Livro em João Pessoa na semana passada.
Nélida encheu o Teatro de Arena com sua presença e charme.....uma mulher culta,simples e encantadora!
No final falei com Ela,ensinei a receita de Polvo á Lagareiro,acho que ela vai adorar,ela é apaixonada pela Gastronomia e pelo polvo,lembranças da sua infância na Galicia!
Bem haja Nélida...e volte sempre!

http://www.nelidapinon.com.br/

Foto de Eurípedes Gomes

Transparente

Mariza
Composição: Paulo Abreu Lima & Rui Veloso

Como a água da nascente
Minha mão é transparente
Aos olhos da minha avó.

Entre a terra e o divino 
Minha avó negra sabia
Essas coisas do destino. 
Desagua o mar que vejo 
Nos rios desse desejo
De quem nasceu para cantar.

Um Zambéze feito Tejo 
De tão cantado q'invejo 
Lisboa, por lá morar.

Vejo um cabelo entrançado 
E o canto morno do fado 
Num xaile de caracóis.

Como num conto de fadas 
Os batuques são guitarras 
E os coqueiros, girassóis. 

Minha avó negra sabia
Ler as coisas do destino
Na palma de cada olhar. 

Queira a vida ou que não queira
Disse deus à feiticeira 
Que nasci para cantar.

http://www.youtube.com/watch?v=_0_rHpY3wf8

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

I SALÃO INTERNACIONAL DO LIVRO DA PARAIBA 20 A 28 DE NOVEMBRO DE 2010


Entre os dias 20 e 28 deste mês a capital paraibana passará a ser cenário do maior evento literário do Brasil realizado durante o segundo semestre do ano. O 1º Salão Internacional de Livros da Paraíba reunirá 100 toneladas de livros e encerrará o calendário de eventos do gênero no país em 2010. A montagem dos 80 stands utilizados durante os oito dias do Salão já foi iniciada no Espaço Cultural José Lins do Rego, em João Pessoa.


O evento conta com diversos espaços destinados ao público de todas as idades. Oficinas para adultos e crianças, palestras, workshops, atrações musicais e teatrais farão parte da programação. A entrada é franca e os visitantes poderão freqüentar os ambientes da feira das 10h às 22h.


Todos os detalhes e programação em:
http://www.salaodolivropb.com.br/#conteudo

Presépio Ambientalista


Pela primeira vez o prédio do Paço Municipal da Prefeitura de João Pessoa terá a montagem de um presépio natalino representando o nascimento de Jesus Cristo. Com o tema ‘Jesus Ambientalista’, a instalação, que está sendo montada na portaria do andar térreo do Paço, é uma produção dos artistas plásticos Chico Viola e Dilce d'Lira. Ocupando uma área de 16m², o presépio terá 12 esculturas em tamanho real produzidas com material reciclado como garrafas pet, latinhas de alumínio e até mesmo restos de aparelhos eletrônicos.

Segundo a coordenadora do projeto, Wilany Gomes, da Secretaria de Transparência Pública (Setransp), a ideia é aproveitar a época natalina para chamar a atenção sobre a responsabilidade de todos com a questão da preservação do meio ambiente. "O planeta é a casa de todos, por isso cada um de nós tem que entender a importância de cuidar dos nossos recursos naturais. Pequenas ações podem mudar o mundo, atitudes que vão desde não jogar lixo no chão até utilizá-lo para representar a beleza do nascimento de Jesus Cristo", completou.

O trabalho de montagem do presépio natalino ‘Jesus Ambientalista’ começou no dia 12 de novembro e vai até 13 de dezembro, quando será inaugurado. Na ocasião, será realizado um culto ecumênico com a participação de corais e apresentações de roda de capoeira.

Secom JP

sábado, 20 de novembro de 2010

Sonho

Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ou ainda por sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender e, se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar. 




Sonho com o dia em que todos levantar-se-ão e compreenderão que foram feitos para viverem como irmãos. 


Martin Luther King

Cotas Raciais

I Have a Dream

Ao Dia da Consciência Negra

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Lamento Sertanejo

Pensamentos


"O homem vangloria-se de ter imitado o vôo das aves com uma complicação técnica que elas dispensam".
 Carlos Drummond de Andrade

Poesia



POEMA DE MALLARMÉ




Nada, esta espuma, virgem verso 
A não designar mais que a copa; 
Ao longe se afoga uma tropa 
De sereias vária ao inverso. 


Navegamos, ó meus fraternos 
Amigos, eu já sobre a popa 
Vós a proa em pompa que topa 
A onda de raios e de invernos; 


Uma embriaguez me faz arauto, 
Sem medo ao jogo do mar alto, 
Para erguer, de pé, este brinde 


Solitude, recife, estrela 
A não importa o que há no fim de 
um branco afã de nossa vela.


 ( Poema de Stéphane Mallarmé. Tradução de Augusto de Campos/Brasil )

Há Lugares....ASSIM


Praia de Carneiros/Pernambuco/Brasil

Dia da Consciência Negra

"Dia da Consciência Negra" retrata disputa pela memória histórica
Preservar a memória é uma das formas de construir a história. É pela disputa dessa memória, dessa história, que nos últimos 32 anos se comemora no dia 20 de novembro, o "Dia Nacional da Consciência Negra".

O Dia da Consciência Negra é uma data para a reflexão de todos os brasileiros. Durante o período da escravidão, os negros sofreram inúmeras injustiças. E ás custas do seu sofrimento nas senzalas, nos campos e nas cidades, foi erguido tudo o que havia no Brasil daquela época. Os negros resistiram de diversas formas, nas muitas revoltas, fugas e com a formação de quilombos em várias partes do país. Assim, surgiu o Quilombo dos Palmares e o seu sonho de liberdade, que teve como principal líder Zumbi.
Veio a Abolição em 1888, o Brasil mudou e hoje é uma das maiores economias do mundo. No entanto, os negros continuaram em situação de desigualdade, ocupando as funções menos qualificadas no mercado de trabalho, sem acesso às terras ancestralmente ocupadas no campo, e na condição de maiores agentes e vítimas da violência nas periferias das grandes cidades. Sua luta, inspirada em Zumbi e em outros heróis negros que tombaram ao longo do caminho, precisava continuar.
Zumbi foi morto em 20 de novembro de 1695, e seu corpo foi exibido em praça pública para semear o medo entre os escravos e impedir novas revoltas e fugas. Mas o efeito foi oposto, despertando em muitos a consciência de que era preciso lutar contra a escravidão e as desigualdades, como Zumbi ousou fazer. A memória deste herói nacional, no Dia da Consciência Negra, nos compromete com a construção de uma sociedade na qual todos tenham não apenas a igualdade formal dos direitos, mas a igualdade real das oportunidades.

"É preciso entender que a desigualdade no Brasil tem cor, nome e história. Esse não é um problema dos negros no Brasil, mas sim um problema do Brasil, que é de negros, brancos e outros mais"

Feliz dia da Consciência Negra! 
Que paremos, pelo menos hoje, pra pensar no quão ridículos 
são os nossos preconceitos, raciais ou não. 

Rita Ribeiro em João Pessoa


Rita Ribeiro

11/11/2010 11:50
Da Secom-JP
Já visto por mais de 200 mil pessoas em todo o Brasil, o show “Tecnomacumba – a tempo e ao vivo”, da maranhense Rita Ribeiro, aporta nesta quarta-feira (17) na capital paraibana. O álbum será lançado dentro do projeto ‘Quarta Negra’, a partir das 20h, no Ponto de Cem Réis. Na mesma noite, quem ainda sobe ao palco é o grupo pessoense Mamma Jazz, que vai mostrar ao púbico o novo trabalho “Nôkana Disquicy”, patrocinado pelo Fundo Municipal de Cultura (FMC). A realização é da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope).
Especialmente, esta edição do projeto 'Quarta-Negra' da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope), está inserida no calendário de ações da Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres (SPPM), que neste mês, celebra o Dia Internacional pelo Fim da Violência contra a Mulher.
“Tecnomacumba - a tempo e ao vivo” é o primeiro DVD de Rita Ribeiro. A artista tem uma carreira de 20 anos, que inclui também quatro discos, além de participações em coletâneas e projetos especiais. O show que ela vai apresentar em João Pessoa já está rodando pelo país há sete anos. A artista está entre as mais criativas, sensíveis e afinadas intérpretes da MPB surgidas dos anos 90 pra cá. O trabalho mostra intersecções entre a MPB, sons eletrônicos e as cantigas, pontos e rezas das religiões afro-brasileiras, com sabor de tradição oral.
O repertório inclui canções como “Cavaleiro de Aruanda” (Tony Osanah), “Domingo 23” (Jorge Benjor), “Babá Alapalá” (Gilberto Gil), “Oração do Tempo e Iansã” (ambas de Caetano Veloso), “Coisa da Antiga” (Wilson Moreira e Ney Lopes), “É D Oxum” (Gerônimo e Vevé Calazans), “Rainha do Mar” (Dorival Caymmi), “Moça Bonita” (Jair Amorim e Evaldo Gouveia), “Xangô, o Vencedor” (Ruy Mauriti e José Jorge) e “Cocada” (Antônio Vieira).
Devido ao grande sucesso de Tecnomacumba, Rita Ribeiro recebeu este ano o prêmio de Melhor Cantora  na categoria Canção Popular da 21α Edição do Prêmio da Musica Brasileira. O prefixo “tecno” quer dizer menos música eletrônica e mais tecnologia. As cantorias vão além da fruição estética e do prazer, tomando o real sentido para os negros africanos. Elas transmitem conhecimentos entre diferentes gerações. O CD, que dá nome ao show, foi lançado pela Biscoito Fino e conta ainda com a parceria entre a Manaxica Produções e o Canal Brasil. É uma representação da livre convivência entre os credos, em um combate à intolerância religiosa.

Mamma Jazz
O CD “Nôkana Disquicy” (Gravadora Pindorama), do grupo Mamma Jazz, é uma coletânea dos dez anos de carreira da banda paraibana. Um dos fundadores do grupo, o vocalista e guitarrista Guilherme Semmedo, nasceu em Guiné Bissau, mas se radicou na Paraíba há cerca de 20 anos.
O trabalho que será apresentado nesta ‘Quarta Negra’ é todo o contexto de laboratório que o Mamma Jazz vem desenvolvendo, com uma fusão de ritmos de vários estilos, que foca música brasileira, africana e do resto do mundo. O show conta com composições de músicos que já fizeram parte da banda como Adeildo Vieira, autor de “Chega Junto”. Adeildo faz ainda parceria com Guilherme Semmedo em “Há braços”. Já o guitarrista e vocalista da banda assinam canções como “Nôkana Disquicy” (“Não esqueceremos”, em português) e “Nada Mudou”. 

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Beleza Natural


Abricó-de-macaco é o nome que aprendi, mas além deste nome, existem inúmeros outros pelos quais a árvore é conhecida, como: Curupita, Cuiarana, Castanha-de-macaco, Cuia-de-macaco, Árvore-de-macaco, Amêndoa-dos-Andes ou Macacarecuia. Dizem que é uma planta venerada por indígenas da Amazônia, sendo cultivada pelo homem há muito tempo. Do homem branco é conhecida desde o século XVII.
Esta árvore é originária da região amazônica, sendo que seu nome científico (Couroupita guianensis) refere-se ao local onde foi estudada pela primeira vez, a Guiana Francesa. Couroupita deriva de kouroupitoumou, o nome popular pelo qual é conhecida na Guiana Francesa. Também pode ser encontrada em zonas exteriores à floresta amazônica, como na Costa Rica, Panamá, Colômbia e Venezuela. Seu habitat natural são terrenos inundáveis e margens de igapós e rios. Mas em terrenos mais secos também desenvolve-se bem, no sul do Brasil.
Tem uma altura que pode atingir até 30 metros no habitat natural, fora dele varia de 8 a 15 metros, com um tronco de 30 a 60 cm de diâmetro. A copa da árvore é bem densa e longa, mas estreita. Muda de folhas, no habitat natural, até quatro vezes ao ano. Mas, conforme as folhas caem, novas folhas voltam a nascer e cobrem rapidamente a copa, levando apenas 4 dias do surgimento da folha até que esta atinja o tamanho normal.
As flores, o espetáculo que me atraiu com o perfume, encontram-se espalhadas por todo o tronco, e podem ser vistas entre setembro e março. No tronco surgem ramificações por todo ele que lembram cipós, e por estes brotam as flores e os frutos. Estes cipós podem crescer até uns 3 metros de comprimento. A flor tem seis pétalas vermelhas ou laranjas, e na parte interna formada por estas pétalas fica uma área branca semi-coberta por uma espécie de aba de coloração rosada ou amarelada. O perfume destas flores lembra o das rosas, sendo o óleo essencial utilizado na perfumaria. As abelhas encarregam-se da polinização.
Os frutos amadurecem entre dezembro e março. São grandes e arredondados, de cor marrom e casca dura. Chegam a pesar 3 kgs e a ter 20 cm de diâmetro. É por causa destes frutos que em inglês é conhecida como Cannon-ball-tree (Árvore-bola-de-canhão). A polpa lembra gelatina azulada e tem um cheiro desagradável. Os frutos são comestíveis, mas devido ao cheiro não são muito apreciáveis. Porcos do mato no entanto, não se importam muito com isto.
Estes frutos chegam a produzir 300 sementes, que os macacos comem, por esta razão a árvore tem o nome associado ao animal. A casca destes frutos é utilizada para a fabricação artesanal de utensílios domésticos. Estes grandes frutos levam quase um ano para ficarem maduros, e podem ser bem perigosos ao caírem.

Árvores da ilha da felicidade




Socotra (ou Socotorá - em árabe سقطرة Suqutrah) é a maior e principal ilha de um arquipélago formado também pelos "Três Irmãos", ilhas menores chamadas de Abd Al Kuri, Samha e Darsa. Pertencente ao Iêmen, o local possui algumas centenas de habitantes e até menos de 10 anos o acesso só era possível de Outubro a Maio, devido aos fortes ventos da região. Mas o que chama atenção neste pequeno aglomerado de ilhotas perdido no Índico é sua fascinante flora.
Em seus 3.625 km², florescem cerca de 800 tipos de plantas, sendo que cerca de um terço delas é endêmico, ou seja, em nenhum outro lugar do mundo você poderá ver algo igual. Árvores como a cracena cinnibaris, a adenium obesum e a dendrosicyos socotranum têm aparências tão peculiares quanto seus nomes científicos. As fotos destes incríveis espécimes falam por si. Infelizmente, botânicos classificam a flora de Socotra entre as dez que correm os maiores perigos de extinção no mundo, justamente por suas características tão particulares. O clima e uma série de outros fatores naturais criaram seres que fazem inveja aos mais inventivos roteiristas de filmes de ficção. E dizer que o nosso impressionante planeta Terra é tão mal cuidado por seus habitantes.





Mais em: http://obviousmag.org/archives/2008/10/arvores_da_ilha.html#ixzz1503L4e00

África Drink


Ingredientes:

  • 5 cl. de Safari
  • 3 cl. de Vodka
  • 10 cl. de sumo de maracujá sem gás
  • 1 cl. de natas frescas
  • gelo

Preparação:

Colocar no shaker com gelo todos os ingredientes e bater durante 30 segundos. Sirva no copo com 6 cubos de gelo.

Utensilios:
  • Shaker
  • Copo long drink

Decoração:
  • 1 rodela de laranja,
  • 1 cereja, ananás,
  • limão,
  • hortelã e casca de limão colocadas no bordo do copo.
Sirva com duas palhinhas.

Corazon Loco

Diego el Cigala e Bebo Valdes

Penas D'um Tiê



Eu não vivo sem amor, não
Não gosto sem você
quero um amor bonito
da cor das penas d'um tiê 
que se pareçam com você

Quero um amor gostoso, macaxeira
quero a menina brejeira, cafuné
a soberba poesia, patativa do assaré...

No embalo da rede, o descanso
depois da praia, o remanso, a cascata
quero o adentrar da mata
numa cabana eu e você

by Janilton Gil

Pensamentos


Para ser grande, sê inteiro: nada
Teu exagera ou exclui.
Sê todo em cada coisa. Põe quanto és
No mínimo que fazes.
Assim em cada lago a lua toda
Brilha, porque alta vive.

Fernando Pessoa

Gastronomia

Salada de kani kama com abacaxi
Ingredientes:
2 xícaras (chá) de abacaxi picado
1 xícara (chá) de salsão picado
2 xícaras (chá) de kani kama desfiado
1 xícara (chá) de uvas passas pretas
4 colheres (sopa) de iogurte natural desnatado
1 dente de alho amassado
Sal a gosto
Pimenta-do-reino a gosto
3 colheres (sopa) de gergelim torrado
 
Modo de Preparo:
Misture em uma saladeira o abacaxi, o salsão, o kani kama e as uvas passas. Reserve. Em uma tigela, junte o iogurte, o alho, o sal, a pimenta-do-reino, misture e regue a salada. Salpique o gergelim torrado.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Humor contra o Racismo

Filosofia

Sabedoria de Tao


Aprende a ser como o Universo
a escutar e a reflectir a Energia
sem emoções pesadas e sem preconceitos.
Porque sendo como um espelho sem emoções
nós aprendemos a falar de outra maneira.

Foto de Ana Mendina

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Raimundo Amador - Fúmala

Café Quijano - Desde brasil

Presuntos Implicados - Alma De Blues

Celine Dion & Barbara Streisand - Tell Him

Pele na Pele



A pele e o amor

Andaram afastados
Sangrou, secou, rachou
A pele procurava a pele do pé



O amor e a pele
Agora andam lado a lado
Macia, amena, serena
A pele e o pé se juntam na pele



E o amor segue pelo paú
Em Tambaú, dourando a pele
Quebrando a barra do dia
Num chafariz de pé na pele do pé





Riso Maria Dersu/S.Paulo

Foto de Carla Freire/João Pessoa

Esconderijo

 

Simetria



Minha amada senhora é simétrica mim
Simétrico sou dela, orgânico ou éter
Até na tez e na conjunção generalizada
O ar me falta quando falta tua presença
Completa presença em mim tua
Tua voz confunde prazeirosamente
As dores da minha alma
Bebo da saliva quente
Sinto-me ausente
Quando ausente ficas...


Eurípedes Gomes/João Pessoa
Foto de Sølve Sundsbø/Noruega

Poesia



Escondido em ti curo minhas feridas

mil vezes e tantas
Logo, breve, são, estarei na estrada
Contigo certamente
Debaixo dos abraços que tenho
Para descarregar em tua presença
carne do meu coração
Em mim aqui dentro
Então serei teu esconderijo
Ou mais até
Eterno e ternamente sempre teu
Por enquanto 
Que sejamos felizes agora, já!



Eurípedes Gomes/João Pessoa
Foto de Carla Freire/João Pessoa