Google+ Followers

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Eu Quero AQUELA


Eu quero aquela
Que odeia o espelho
Mas é sempre bela
Prefere vermelho
E usa roupa amarela
Entra pela porta
E sai pela janela

Vive pela paz
E luta como fera
Gosta do inverno
Mas cheira primavera
Perde a elegância
Mas logo recupera

Eu quero aquela
Que sente medo
Mas não tem tramela
Que levanta cedo
Sem tirar remela
Que não tem vergonha
E se descabela

Não me conta tudo
Mas é bem sincera
Que me deixa mudo
E logo descongela
É o meu escudo
E a minha megera

Eu quero aquela
Que não tem frescura
E come berinjela
Se falo de cultura
Fica tagarela
Começa uma leitura
Na hora da novela

Nunca me apressa
Sempre me espera
Que não faz promessa
Nem se desespera
E que sempre expressa
O que ela considera

Seja negra ou seja branca
De família ou de favela
Seja atleta ou seja manca
Da Mangueira ou da Portela
Não importa onde ela esteja
Eu só quero aquela

Leandro Cesaroni -Brasil

Velha Infância


Velha Infância
Tribalistas
Composição: Arnaldo Antunes/ Carlinhos Brown/ Marisa Monte

Você é assim
Um sonho pra mim
E quando eu não te vejo
Eu penso em você
Desde o amanhecer
Até quando eu me deito...

Eu gosto de você
E gosto de ficar com você
Meu riso é tão feliz contigo
O meu melhor amigo
É o meu amor...

E a gente canta
E a gente dança
E a gente não se cansa
De ser criança
A gente brinca
Na nossa velha infância...

Seus olhos meu clarão
Me guiam dentro da escuridão
Seus pés me abrem o caminho
Eu sigo e nunca me sinto só...

Você é assim
Um sonho pra mim
Quero te encher de beijos
Eu penso em você
Desde o amanhecer
Até quando eu me deito...

Eu gosto de você
E gosto de ficar com você
Meu riso é tão feliz contigo
O meu melhor amigo
É o meu amor...

E a gente canta
E a gente dança
E a gente não se cansa
De ser criança
A gente brinca
Na nossa velha infância...

Seus olhos meu clarão
Me guiam dentro da escuridão
Seus pés me abrem o caminho
Eu sigo e nunca me sinto só...

Você é assim
Um sonho pra mim
Você é assim...
Você é assim...
Você é assim...

-"Você é assim
Um sonho pra mim
E quando eu não te vejo
Penso em você
Desde o amanhecer
Até quando me deito
Eu gosto de você
Eu gosto de ficar com você
Meu riso é tão feliz contigo
O meu melhor amigo
É o meu amor"

O Que Trazemos e o que Levamos...


O Que Trazemos e o que Levamos...
Osho

(Do livro "Mais Pepitas de Ouro")

Você vem ao mundo sem coisa alguma.
Assim, uma coisa é certa: nada lhe pertence.
Você vem absolutamente despido, porém com ilusões.
É por isso que toda criança nasce com as mãos fechadas,
cerradas, acreditando que está trazendo tesouros
- e aqueles punhos estão vazios.
E todos morrem com as mãos abertas.
Tente morrer com as mãos cerradas - até o momento
ninguém conseguiu.
Ou tente nascer com as mãos abertas - ninguém
conseguiu também.

Nada lhe pertence, então você está preocupado
com qual insegurança?
Nada pode ser roubado, nada pode ser tirado de você.
Tudo o que você está usando pertence ao mundo.
E um dia você terá que deixar tudo aqui.
Você não será capaz de levar coisa alguma com você.
“Será que estou no caminho certo?”

Foto de Carla Freire

Frases


"Deus me proteja de mim e da maldade de gente boa,da bondade da pessoa ruim,Deus me governe e guarde,me ilumine e zele assim..."

Chico César

domingo, 29 de novembro de 2009

Há lugares.......ASSIM


Deserto da Namíbia-África

Fotos Antigas


Barbearia em Vale de Cambra,década de 40
Foto de Manuel Tavares de Sousa-meu avô

O RISO

Amigos e suas......ARTES


Itinerário das permissões literárias


sabemos a necessidade como bom motivo para querer redigir

desde que o desejo peça a verbalização dos sentimentos

pensamento torna-se a explosão do verbo simplificar

construção das palavras vai além da brincadeira

apenas conservando a infância da verdade

alcançaremos a liberdade de expressão

motor maior de todas as facilidades

para que se possa escrever bem

com a fluidez de um leigo


Sandoval Fagundes, João Pessoa

domingo, 29 de novembro de 2009

Foto de Carla Freire

Frase da Semana


Amor é prosa, sexo é poesia.

Arnaldo Jabor

SEJA UM IDIOTA




A idiotice é vital para a felicidade.

Gente chata essa que quer ser séria, profunda e visceral sempre. Putz! A vida já é um caos, por que fazermos dela, ainda por cima, um tratado? Deixe a seriedade para as horas em que ela é inevitável: mortes, separações, dores e afins.

No dia-a-dia, pelo amor de Deus, seja idiota! Ria dos próprios defeitos. E de quem acha defeitos em você. Ignore o que o boçal do seu chefe disse. Pense assim: quem tem que carregar aquela cara feia, todos os dias, inseparavelmente, é ele. Pobre dele.

Milhares de casamentos acabaram-se não pela falta de amor, dinheiro, sexo, sincronia, mas pela ausência de idiotice. Trate seu amor como seu melhor amigo, e pronto.

Quem disse que é bom dividirmos a vida com alguém que tem conselho pra tudo,soluções sensatas, mas não consegue rir quando tropeça?

hahahahahahahahaha!...

Alguém que sabe resolver uma crise familiar, mas não tem a menor idéia de como preencher as horas livres de um fim de semana? Quanto tempo faz que você não vai ao cinema?

É bem comum gente que fica perdida quando se acabam os problemas. E daí,o que elas farão se já não têm por que se desesperar?

Desaprenderam a brincar. Eu não quero alguém assim comigo. Você quer? Espero que não.

Tudo que é mais difícil é mais gostoso, mas... a realidade já é dura; piora se for densa.

Dura, densa, e bem ruim.

Brincar é legal. Entendeu?

Esqueça o que te falaram sobre ser adulto, tudo aquilo de não brincar com comida, não falar besteira, não ser imaturo, não chorar, não andar descalço,não tomar chuva.

Pule corda!

Adultos podem (e devem) contar piadas, passear no parque, rir alto e lamber a tampa do iogurte.

Ser adulto não é perder os prazeres da vida - e esse é o único "não" realmente aceitável.

Teste a teoria. Uma semaninha, para começar.

Veja e sinta as coisas como se elas fossem o que realmente são:
passageiras. Acorde de manhã e decida entre duas coisas: ficar de mau humor e transmitir isso adiante ou sorrir...

Bom mesmo é ter problema na cabeça, sorriso na boca e paz no coração!

Aliás, entregue os problemas nas mãos de Deus e que tal um cafezinho gostoso agora?

A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso cante, chore,dance e viva intensamente antes que a cortina se feche!

Arnaldo Jabor

CHEIRO DE XOTE


Cheiro de xote
Levante a cabeça, mostre sua testa,
Me dê um cheiro, entre nesta festa!
Cheiro foi feito pra se cheirar,
Só não dá quem não tem pra dar,
Chegue, cheire, Chana, deixe eu cheirar...
Chegue, xote o xote comigo, amor,
Quero beber deste teu doce licor...
Xaxe no xote, não tenha dó, Chinele o xote, meu xodó.
Xaxe e xote, xente, levante o pó.
Puxe o fole pra lá, Xote o xote pra cá,
Não chinelou no xote-xote, nunca dançou.
Ralando o bucho no xote, Fungando no teu cangote...
O xote chouto chama chuva já bodejou...
Tudo que ama tem cheiro, Moça donzela tem cheiro,
Toda viúva tem jeito de quem já cheirou...
O teu marido tem cheiro, Tem cheiro bom de marido...
O fole xote funga cheira já zabumbou...

Schottische de Glória Gadelha e Otávio Sitônio Pinto

sábado, 28 de novembro de 2009

Mulheres com mais de 40


A medida que avança a idade,
Valorizo muito mais as mulheres com mais de 40 anos.
E aqui estão algumas das razões:

Uma mulher com mais de 40, nunca vai te acordar no meio da noite, para perguntar com o que você está sonhando...
Simplesmente porque não lhe interessa com o que você está sonhando.

Se uma mulher com mais de 40 anos, não quer assistir um jogo de futebol, ela não fica eclamando e andando em círculos no meio da sala.
Ela simplesmente vai fazer algo que ela quer fazer, com grandes chances de ser muito mais interessante.

Uma mulher com mais de 40 se conhece o suficiente para estar segura de si mesma, para saber o que quer, para saber quem quer.
São poucas as mulheres com mais de 40 que se importam com o que você pensa delas.

Uma mulher com mais de 40 já tem completa a sua cota de relações "importantes" e "compromissos".
A ultima coisa que quer, na sua vida, é outro amante possessivo.

As mulheres com mais de 40 são superiores. Nunca dão uma baixaria no meio do restaurante.
Se você aprontou alguma, ela certamente pode até te acertar um tabefe, mas em regra simplesmente te abandonam e depois não te querem ver nem pintado (por mais que você implore desculpas e diga que está arrependido).

As mulheres com mais de 40 geralmente são muito carinhosas e te elogiam muito.
Elas sabem - por já terem vivido isso nas relações "importantes" e nos "compromissos" - como é desagradável que a pessoa de quem gostamos não seja carinhosa e cuidadosa.

As mulheres com mais de 40 tem segurança o suficiente para te apresentar as suas amigas.
Uma mulher mais jovem, quando está com você, pode ignorar a existência da sua melhor amiga.

As mulheres com mais de 40, independentemente da sua área de atuação, acaba se tornando meio psicóloga:
Você não precisa confessar os seus pecados, porque elas sempre sabem.

Uma mulher com mais de 40 fica absolutamente linda com um batom vermelho.

Uma mulher com mais de 40 é honesta e direta: lhe dirá que você é um completo imbecil, se pensar mesmo isso de você.

Há muitas coisas legais pra dizer das mulheres com mais de 40 e pelas razões mais diferentes.
Mas lamentavelmente isso não é recíproco: porque para cada mulher com mais de 40, inteligente, bem sucedida, atraente, charmosa, bonita e sexy
Tem um homem com mais de 40, gordo, largado, se achando e com uma mulher de 20 do lado dele.

É incrível ver como os homens se enganam com as mulheres mais novas…

Se cada homem soubesse aproveitar a mulher de mais de 40 anos que está ao seu lado, ele saberia a diferença entre a beleza física e a sabedoria madura.

Se você tiver uma mulher de mais de 40 anos ao seu lado, usufrua dela enquanto puder pois estará usufruindo do que a vida tem de mais belo.

Recebido por email

ESQUENTAIS VOSSOS PANDEIROS JACKSONIANOS


¨Atualmente Asociação Cultural e Recreativa ANJO AZUL ,trabalha o
projeto ESQUENTAIS VOSSOS PANDEIROS JACKSONIANOS

Projeto patrocinado pelo FIC .

Em 31 de agosto de 1919 nascia nos aredores de Alagoa Grande, no
brejo paraibano um dos maiores ritmistas do Brasil. No aniversário
dos 90 anos de nascimento de Jackson do Pandeiro, a Associação
Cultural e Recreativa Anjo Azul sob Curadoria da TRATO Assessoria e
Produção Cultural, dá inicio a partir desta segunda-feira, 31 de
agosto, as oficinas de TEATRO do projeto Esquentais Vossos Pandeiros
Jacksonianos, especialmente para a população habotante na cidade que
acolheu no nosso REI DO RITMO.

Centro Cultural Thomás Mindello, Cilaio Ribeiro, João Balula.
dia 29 /11, a partir das 16:00hs, apresentação do projeto ESQUENTAIS VOSSOS PANDEIROS JACKSONIANOS

CHEMA MADOZ *Fotógrafo

Reflexão

Hino à Tolerância

Já será grande a tua obra se tiveres conseguido levar a tolerância ao espírito dos que vivem em volta; tolerância que não seja feita de indiferença, da cinzenta igualdade que o mundo apresenta aos olhos que não vêem e às mãos que não agem; tolerância que, afirmando o que pensa, ainda nas horas mais perigosas, se coíba de eliminar o adversário e tenha sempre presente a diferença das almas e dos hábitos; dar-lhe-ão, se quiserem, o tom da ironia, para si próprios, para os outros; mas não hão-de cair no cepticismo e no cómodo sorriso superior; quando chegar o proceder, saberão o gosto da energia e das firmes atitudes. Mais a hão-de ter como vencedores do que como vencidos; a tolerância em face do que esmaga não anda longe do temor; então, antes os quero violentos que cobardes.
Mas tu mesmo, Marcos, com que direito és tolerante? Acaso te julgas possuidor da verdade? Em que trono te sentaram para que assim olhes de cima o resto dos humanos e todo o mundo em redor? Por que tão cedo te separas de compreender e de amar? Tens a pena do rico para o pobre, dás-lhe a esmola de lhe não fazer mal; baixaste a suportar o que é divino como tu; e queres que te vejamos superior porque já te não deixas irritar por gestos ou palavras dos irmãos. Mais alto te pretendo e mais humilde; à tolerância que envergonha substitui o cálido interesse pedagógico, o gosto fraternal de aprender e de guiar; não levantes barreiras, mas abate-as; se consideras pior o caminho dos outros vai junto deles, aconselha-os e guia-os; não os deixes errar só porque os dominarias, se quisesses; transforma em forte, viva chama o que a pouco e pouco se dirige a não ser mais que um gelado desdém.

Agostinho da Silva, in 'Considerações'

Pensamentos

"O único tirano que aceito neste mundo é a voz silenciosa dentro de mim, a consciência.

Mahatma Gandhi
Mahatma Gandhi

Cozinha de Goa


CARIL DE CAMARÃO
Gastronomia Internacional - Goa - Gastronomia Goesa


Ingredientes:

1 côco;
250 gr. de coco ralado;
1/2 colher de chá de pó de açafrão das índias;
1/2 colher de chá de cominhos;
1 colher de chá de coentros;
6 dentes de alhos;
1 colher de sopa ou mais de malagueta(pimenta) moída com água;
3 cebolas;
100gr. de camarão descascado;
1/2 chávena de água de tamarindo ou 1 colher de sopa de bom vinagre;
1 pitada de açúcar;
2 malaguetas(pimentas) verdes;
sal q.b.;
3 colheres de sopa de óleo (aprox.)
Preparação:

Rala-se o coco. Tira-se sumo grosso e deixa-se à parte. Quando se tira o sumo ralo adiciona-se o açafrão-das-índias, os cominhos, os coentros e os alhos.
Descasca-se o camarão põe-se um bocado de sal e fica uns 10 minutos assim. Corta-se a cebola em meia lua e põe-se a refogar no óleo com uma pitada de açúcar e uma pitada de sal. Assim que a cebola fique loira acrescenta-se a pasta da malagueta(pimentas) moída e mistura-se bem com uma colher de pau. Quando a malagueta estiver tostada deita-se o sumo ralo e deixa-se cozer bem e engrossar mas não demais.
Lava-se muito bem o camarão e escorre-se. Quando o caril já tiver engrossado um pouco deita-se o camarão. Logo que o camarão esteja cozido deita-se a água de tamarindo ou vinagre e deixa-se levantar duas fervuras. Por último, deita-se o sumo grosso e uma ou duas malaguetas verdes cortadas ao comprido e bilimbims também cortados ao comprido ou solans de manga. Ferve bem. Depois cozinha em lume brando até o azeite vir à superfície. Em querendo mais picante, adiciona-se mais malagueta moída num pouco do caril, junta-se ao resto e deixa-se ferver. O caril cozinha-se sempre em panela aberta e fica melhor se a panela for de barro.

Nalgum Lugar


Nalgum Lugar

Nalgum lugar em que eu nunca estive
Alegremente além
De qualquer experiência
Teus olhos tem o seu silêncio
No teu gesto mais frágil
Há coisas que me encerram
Ou que eu não ouso tocar
Porque estão demasiado perto
Teu mais ligeiro olhar facilmente me descerra
Embora eu tenha me fechado como dedos
Nalgum lugar
Me abres sempre pétala por pétala
como a primavera abre
Tocando sutilmente, misteriosamente
A sua primeira rosa
Sua primeira rosa
Ou se quiseres me ver fechado
Eu e minha vida
Nos fecharemos belamente, de repente
Assim como o coração desta flor imagina
A neve cuidadosamente descendo em toda a parte
Nada que eu possa perceber neste universo
Iguala o poder de tua intensa fragilidade
Cuja textura
Compele-me com a cor de seus continentes
Restituindo a morte e o sempre
Cada vez que respirar
Não sei dizer o que há em ti que fecha e abre
Só uma parte de mim compreende
Que a voz dos teus olhos
É mais profunda que todas as rosas
Ninguém, nem mesmo a chuva, tem mãos tão pequenas
Ninguém, nem mesmo a chuva, tem mãos tão pequenas.

Zeca Baleiro
Composição: E. E. Cummings
Foto de Carla Freire

Tubi Tupy


Tubi Tupy

Composição: Lenine e Carlos Rennó

Eu sou feito de restos de estrelas
Como o corvo, o carvalho e o carvão
As sementes nasceram das cinzas
De uma delas depois da explosão
Sou o índio da estrela veloz e brilhante
O que é forte como o jabuti
O de antes de agora em diante
E o distante galáxias daqui
Canibal tropical, qual o pau
Que dá nome à nação, renasci
Natural, analógico e digital
Libertado astronauta tupi
Eu sou feito do resto de estrelas
Daquelas primeiras, depois da explosão,
Sou semente nascendo das cinzas
Sou o corvo, o carvalho, o carvão
O meu nome é Tupy
Gaykuru
Meu nome é Peri
De Ceci
Eu sou neto de Caramuru
Sou Galdino, Juruna e Raoni
E no Cosmos de onde eu vim
Com a imagem do caos
Me projeto futuro sem fim
Pelo espaço num tour sideral
Minhas roupas estampam em cores
A beleza do caos atual
As misérias e mil esplendores
Do planeta de Neanderthal

LENINE/BRASIL
Foto de Rita Barreto

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Porquê gostamos de Música?


“Por que a gente gosta de cantores? Onde se esconde o poder das canções? Talvez se origine da mera estranheza de se existir canto no mundo. A nota, a escala, o acorde; melodias, harmonias, arranjos, sinfonias, ragas, óperas chinesas, jazz, blues: o fato de essas coisas existirem, de termos descoberto os intervalos mágicos e as distâncias que produzem o pobre punhado de notas, todas ao alcance da mão humana, com as quais construímos nossas catedrais sonoras, é um mistério tão alquímico quanto a matemática, ou o vinho, ou o amor. Talvez os pássaros tenham nos ensinado. Talvez não. Talvez sejamos, simplesmente, criaturas em busca de exaltação. Coisa que não temos muito. Nossas vidas não são o que merecemos. De muitas dolorosas maneiras elas são, temos de admitir, deficientes. A música as transforma em outra coisa. A música nos mostra um mundo que merece os nossos anseios, ela nos mostra como deveriam ser os nossos eus, se fôssemos dignos do mundo”.
Trecho do livro “O Chão Que Ela Pisa”, de Salman Rushdie

Comentário do Blog:A autora deste blog...estaria Morta....sem a Música!

O que se pode fazer com uma KOMBI



ESTA ESTÁ 10



Pergunta feita pelo Professor Fernando, da matéria Termodinâmica, no curso de Engenharia Química da FATEC em sua prova final.
Este Professor é conhecido por fazer perguntas do tipo 'Por que os aviões voam?'
Nos últimos exames, sua única questão nesta prova para a turma foi:
'O inferno é exotérmico ou endotérmico? Justifique sua resposta'

Vários alunos justificaram suas opiniões baseados na Lei de Boyle ou em alguma variante da mesma.
Um aluno, entretanto, escreveu o seguinte:
'Primeiramente, postulemos que o inferno exista e que esse é o lugar para onde vão algumas almas. Agora postulemos que as almas existem; assim elas devem ter alguma massa e ocupam algum volume.
Então um conjunto de almas também tem massa e também ocupa um certo volume.
Então, a que taxa as almas estão se movendo para fora e a que taxa elas estão se movendo para dentro do inferno?
Podemos assumir seguramente que, uma vez que certa alma entra no inferno ela nunca mais sai de lá.
Logo, não há almas saindo.
Para as almas que entram no inferno, vamos dar uma olhada nas diferentes religiões que existem no mundo e no que pregam algumas delas hoje em dia.
Algumas dessas religiões pregam que se você não pertencer a ela, você vai para o inferno...
Se você descumprir algum dos 10 mandamentos ou se desagradar a Deus, você vai para o inferno.
Como há mais de uma religião desse tipo e as pessoas não possuem duas religiões, podemos projetar que todas as almas vão para o inferno.
A experiência mostra que poucos acatam os mandamentos.
Com as taxas de natalidade e mortalidade do jeito que estão, podemos esperar um crescimento exponencial das almas no inferno. Agora vamos olhar a taxa de mudança de volume no inferno.
A Lei de Boyle diz que para a temperatura e a pressão no inferno serem as mesmas, a relação entre a massa das almas e o volume do inferno deve ser constante.
Existem, então, duas opções:
1) Se o inferno se expandir numa taxa menor do que a taxa com que as almas entram, então a temperatura e a pressão no inferno vão aumentar até ele explodir, portanto EXOTÉRMICO.
2) Se o inferno estiver se expandindo numa taxa maior do que a entrada de almas, então a temperatura e a pressão irão baixar até que o inferno se congele, portanto ENDOTÉRMICO.
Se nós aceitarmos o que a menina mais gostosa da FATEC me disse no primeiro ano: 'Só irei pra cama com você no dia que o inferno congelar' e, levando-se em conta que AINDA NÃO obtive sucesso na tentativa de ter relações amorosas com ela, então a opção 2 não é verdadeira.
Por isso, o inferno é exotérmico.'

O aluno Thiago Faria Lima tirou o único 10 da turma.

CONCLUSÕES:
1) 'A mente que se abre a uma nova idéia jamais volta ao seu tamanho original.' (Albert Einstein)
2) 'A imaginação é muito mais importante que o conhecimento.' (Albert Einstein)
3) 'Um raciocínio lógico leva você de A a B. Imaginação leva você a qualquer lugar que você quiser.' (Albert. Einstein)

Enviada por uma amiga querida Stella Cerqueira

Amigos e suas .....ARTES


18 cores hermanas

toda sensação subjetiva que me provoca
descreve tua paz, teu fluxo luminoso
emanam as condições espaciais

tola relação objetiva que me desdobra
refere-se a teu eficaz raio carinhoso
Hermana das paixões especiais

teu tempo, pensamento do meu espectro
tua croma, nuance vibrante e independente
teu sorriso eletromagnético sobre a nossa calma

Sandoval Fagundes, João Pessoa
terça-feira, 24 de novembro de 2009
Fotografia de Carla Freire

É Cana da BOA


Volúpia Reúne Formadores de Opinião São Paulo


Será com uma grande festa que a cachaça Volúpia, uma das mais antigas e tradicionais do estado da Paraíba, será lançada oficialmente na cidade de São Paulo, na próxima segunda-feira, dia 30, a partir das 19h. O evento vai acontecer no Bar e Restaurante São Pedro São Paulo, considerado o melhor happy hour da capital paulista pela grande mídia da cidade.

O evento deverá reunir jornalistas, publicitários, formadores de opinião de todas as áreas, além dos fieis freqüentadores do Bar e Restaurante São Pedro São Paulo, charmoso ambiente localizado no Itaim Bibi, que comemora 10 anos de existência.

Todo o evento vem sendo planejado pela arquiteta paraibana, radicada em São Paulo, Fernanda Melo, presidente da Confraria da Lapada - irmandade que reúne apreciadores da boa cachaça – e por Magú Pereira, dona do bar. Durante a festa haverá a degustação da cachaça em suas diversas versões - tradicional, envelhecida e com sabores - , além de coquetéis especiais elaborados com a Volúpia.

De acordo com Fernanda Melo, a idéia é transportar um pouco da Paraíba para a ‘Capital da Garoa’, por isso haverá também a degustação de frutas típicas, receitas especiais, além de uma decoração temática.

Para animar o evento, quatro convidados especiais: o cantor, compositor e multinstrumentista Jarbas Mariz, com raízes na Paraíba, mas radicado em São Paulo há mais de duas décadas, que por sinal fará um pequeno tributo a Jackson do Pandeiro, nascido em Alagoa Grande, onde também é fabricada a Volúpia; Marcelo Piancó, humorista de verve inteligente e criativa, que já conquistou o Brasil com seu talento; o cantor e compositor Paulo Vinícius, que está lançando seu mais novo disco “Em Todos os Sentidos”; e o também humorista Cristovam Tadeu, que faz parte do elenco permanente do Show do Tom, programa exibido em rede nacional.

Através da performance desses artistas, o público de São Paulo poderá perceber que, além de ótimas cachaças, a Paraíba dá grande contribuição para a cultura do Brasil.

O Bar e Restaurante São Pedro São Paulo fica na Rua Dr. Renato Paes de Barros, 127, Itain Bibi. Site: www.saopedrosaopaulo.com.br. Telefones para informações (11) 6651 5702 (11) 6651 5702 ou (83) 9983 8882 (83) 9983 8882 .

Eita....eu queria mesmo era estar lá!



A Volúpia

Fabricada no belo e bem estruturado engenho Lagoa Verde, na cidade de Alagoa Grande - distante 105 quilômetros da capital João Pessoa – localizado no Brejo da Paraíba, região reconhecida como produtora das boas cachaças brasileiras, a Volúpia tem 63 anos de uma trajetória marcada pela busca incessante da qualidade.

Há alguns anos a Volúpia vem figurando no ranking das melhoras cachaças do Brasil promovido pela revista Playboy. Em 2009 ficou na 10ª colocação, atrás apenas das tradicionais cachaças produzidas em Minas Gerais.

Os conhecedores do assunto garantem que cachaças com a qualidade, pureza e sabor da Volúpia correspondem tranquilamente a um uísque 12 anos. “Não é a toa que a cada ano aumenta o número de consumidores das boas cachaças no Brasil, inclusive muitas mulheres já reconhecem nesse produto um sabor agradável e suave.” assegura Fernanda Melo, presidente da Confraria da Lapada.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

PACIÊNCIA...




PACIÊNCIA...

Por Arnaldo Jabor

Ah! Se vendessem paciência nas farmácias e supermercados. ..

Muita gente iria gastar boa parte do salário nessa

mercadoria tão rara hoje em dia.

Por muito pouco a 'madame' que parece uma 'lady' solta

palavrões e berros que lembram as antigas 'trabalhadoras do cais'...

E o bem comportado executivo? O 'cavalheiro' se transforma

numa 'besta selvagem' no trânsito que ele mesmo ajuda a tumultuar...

Os filhos atrapalham, os idosos incomodam, a voz da vizinha

é um tormento, o jeito do chefe é demais para sua cabeça, a esposa virou uma

chata, o marido uma 'mala sem alça'. Aquela velha amiga uma 'alça sem mala',

o emprego uma tortura, a escola uma chatice.

O cinema se arrasta, o teatro nem pensar, até o passeio

virou novela.

Outro dia, vi um jovem reclamando que o banco dele pela

Internet estava demorando a dar o saldo, eu me lembrei da fila dos bancos e

balancei a cabeça, inconformado. ..

Vi uma moça abrindo um e-mail com um texto maravilhoso e ela

deletou sem sequer ler o título, dizendo que era longo demais.

Pobres de nós, meninos e meninas sem paciência, sem tempo

para a vida, sem tempo para Deus.

A paciência está em falta no mercado, e pelo jeito, a

paciência sintética dos calmantes está cada vez mais em alta.

Pergunte para alguém, que você saiba que é 'ansioso demais'

onde ele quer chegar?

Qual é a finalidade de sua vida?

Surpreenda-se com a falta de metas, com o vago de sua

resposta.

E você?

Onde você quer chegar?

Está correndo tanto para quê?

Por quem?

Seu coração vai agüentar?

Se você morrer hoje de infarto agudo do miocárdio o mundo

vai parar?

A empresa que você trabalha vai acabar?

As pessoas que você AMA vão parar?

Será que você conseguiu ler até aqui?

Respire... Acalme-se...

O mundo está apenas na sua primeira Volta e, com certeza, no

final do dia vai completar o seu giro ao redor do Sol, com ou sem a sua

paciência...

NÃO SOMOS SERES HUMANOS PASSANDO POR UMA EXPERIÊNCIA

ESPIRITUAL.. .

SOMOS SERES ESPIRITUAIS PASSANDO POR UMA EXPERIÊNCIA

HUMANA...

Negócios coloniais


Negócios coloniais

Sitônio Pinto


Uma coletânea de documentos dos séculos XVII-XVIII, editada pelo Ministério da Fazenda, em 1973, sob o título de "Negócios Coloniais", revela um fato estarrecedor: no ano de 1650, a população da África era igual à população da Europa, em torno de 100 milhões de almas negras e brancas; um século depois, no ano da graça de 1750, a população da África havia caído para 95 milhões de remanescentes, enquanto a Europa atingia 140 milhões de habitantes.

Tanto a África quanto a Europa forneceram os contingentes humanos para a colonização da América. A Europa foi vertente de um êxodo espontâneo, composto de fidalgos maldonados, de fugitivos do feudalismo, e do exílio compulsório dos presos políticos e dos criminosos comuns. Mas a África foi o minadouro do êxodo escravo que iria fecundar os leirões do Novo Mundo.

Em um século, os universos demográficos dos dois continentes, antes equiparados, apresentaram uma diferença de 50% entre si, correspondente a 45 milhões de habitantes a mais na Europa. A estatística não apresenta um comparativo das populações da Península Ibérica e das Ilhas Britânicas, no mesmo período; se aqueles países colonizadores sofreram deflação demográfica igual à do continente africano. Mas as duas realidades, tomadas em conjunto, apontam para a extensão da captura, seguida de genocídio, de que foi vítima o estoque racial negro.

O volume do êxodo escravo foi muito maior, como se pode deduzir da defasagem entre a inflação e a deflação demográficas da Europa e da África, respectivamente. Maior que o êxodo dos reinos europeus, o contingente africano teria sido suficiente para formar um percentual muito mais representativo no amálgama racial americano. Mas, o contingente negro, explorado como rebanho na geração de mão-de-obra escrava, não logrou superioridade numérica sobre o contingente branco na formação do espectro racial da América. A constatação deixa ver, mais uma vez, onde repousou o potencial reprodutor do elemento negro. Além dos leirões do novo mundo, o estoque racial sumiu nas covas dos cemitérios clandestinos que pontilharam a América.

A correspondência da época, fonte da crônica dos negócios coloniais, registra ainda um decréscimo na população americana naquele período, – mesmo diante do êxodo europeu e do africano. Isso ressalta três fatos: 1) a população nativa, ameríndia, que atingia 11 milhões de habitantes nos meados do século XVII, quase foi extinta; 2) o contingente negro não se reproduziu em número suficiente para repor as baixas do trabalho forçado; 3) a soma de brancos e negros não foi bastante para repor as baixas dos indígenas.


A América

teve alicerces

de ossos.

É isso mesmo: a importação e a reprodução de brancos e negros, no período entre 1650 e 1750, não substituíram o contingente índio exterminado. Ou seja: a importação de dois estoques raciais, e a reprodução de três estoques, foram insuficientes para repor o quantitativo do estoque exterminado, pois não mantiveram o nível do estoque inicial. Os números deixam ver que, se a população nativa foi exterminada, o contingente negro, – o maior dos três, – foi o que sofreu mais baixas. Quer dizer: a colonização cometeu um duplo genocídio, exterminando o estoque nativo e dizimando o estoque escravo.

A alvenaria da América teve alicerces de ossos e argamassa de sangue. Nem a Guerra dos Cem Anos matou tanta gente como um século de negócios coloniais; nem o holocausto judeu, nem os cogumelos carnívoros de Hiroshima e Nagasaki, nem o Dilúvio, nem as Sete Pragas.

Pátria de finados, o Novo Mundo morria mais que nascia.

Os papagaios veados


Os papagaios veados

Por muito tempo os dois papagaios viveram separados em poleiros vis-à-vis, afastados cerca de três metros, na área de serviços. Eles tinham uma função: entreter os fregueses da Pensão Popular enquanto os comensais esperavam o bode guisado ou a carne-de-sol de Corina.

O mais velho sempre foi meio bisonho. Papagaio de poucas falas, grave e carrancudo, com jeito de leão-de-chácara. O mais novo fazia dueto ao silêncio do outro. Mas, ao contrário do companheiro, era um papagaio amostrado. Quando via a gente, botava pra fazer piruetas no poleiro. Até que, um dia, caiu de ponta-cabeça e quebrou o bico. Mas continuou seus números de palhaço-acrobata.

A área de serviços ficava anexa à sala de refeições da pensão de Corina - um estabelecimento muito familiar, situado no oitão da igreja matriz de Princesa. A Pensão Popular era casa de respeito e mesa farta. Comida caseira, boa e barata. Respeito é bom, e Corina carrancuda. Como eu ia dizendo, a área ficava anexa à sala de refeições, e nós, os hóspedes, nos distraíamos com os dois papagaios da Pensão Popular, enquanto esperávamos o bode guisado.

As coisas iam bem na pensão de Princesa. Mas, depois, Corina passou a lamentar a crise. Era só eu chegar e ela ia logo perguntando:

-- Quando o garimpo vai abrir? Depois que o garimpo fechou, foi essa crise danada. Antes, a casa era cheia...

Em plena crise, os dois papagaios machos viraram a casaca e não respeitaram mais os costumes carrancistas da casa. Tempo desses eu estive lá e vi o escândalo: os dois papagaios num poleiro só, feito casal de pombinhos, trocando arrulhos e afagos!

-- Dona Corina, esses papagaios não eram machos? --perguntei meio sem jeito.

-- Esses infelizes são machos. Mas aprenderam essa safadeza não sei com quem.

Ao escândalo do ouro,

somou-se o caso dos papagaios pederastas.

Corina foi até o poleiro, pegou o papagaio mais velho e levou-o para o pé de pinha. Providência inútil: quando Corina deu as costas, o louro desceu e foi ao encontro do companheiro. Os afagos evoluíam, começando uma estranha ginástica para dois papagaios machos: um ficava por baixo, o outro por cima, e um crocitar em falsete acompanhava o jogo amoroso.

Corina não admitia falta de respeito em sua pensão: novamente apartava os papagaios e levava um dos parceiros lá para o fundo do muro, horrorizada.

Fiquei preocupado com o procedimento dos papagaios mais ou menos machos da Pensão Popular de Princesa. De repente, aqueles dois papagaios ameaçam desmoralizar toda uma tradição machista, todo um passado de lutas!

-- Dona Corina, onde diabo a senhora arranjou esses papagaios veados?

-- Vieram da banda da Bahia. Paguei caro por esses condenados.

A resposta de Corina tranqüilizou-me, pois esses costumes não existiam no Território Livre de Princesa. (23-11-2009)

Otávio Sitônio Pinto
Escritor, Publicitário e Membro do IHGP e da
Academia Paraibana de Letras
Colunista do Jornal A União
www.aunião.pb.gov.br
João Pessoa/Paraíba/Brasil

As ROSAS de Outono



Abeirei-me da roseira
“Príncipe Negro”
Vermelha
Senti o seu aroma
Tão intenso
Tão diferente
Agora que é Outono
De calendário marcado
Mas o Sol tão fagueiro
Extrai orientais
Odores
Realiza o estabelecido
Une sentires
Amores
Centro do mundo
Encontro
De quem bem se quer
Valle Rosal
Jardim
De mil flores

Vicktor-Almada-Portugal
Foto de Carla Freire

Amigas e suas ARTES.....Riso Maria


Deixa o Amor doer

Nem sei o que é o amor
Digo que amo e pronto
Quando vejo o amor
Quando o amor chega
Eu digo: Amo-te
E o amor sara qualquer dor
só não nunca sarou a dor do amor
Deixa doer uma vez assim amor

Riso Maria -S.Paulo-Brasil
Foto de Carla Freire

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Dança de Rua

Humor no Zelig Circus Bar


Ás Quintas- feiras no Zelig Circus Bar em João Pessoa-Brasil e (até 03/12)ás 22:30h
tem Show de Cristovam Tadeu
Uma noite de riso e bom humor,um show inteligente e divertido.
A não perder!

Declaração de Amor


Cartoon de Adrian Palmas

Entretanto ......no BRASIL


Cartoon de William Medeiros
João Pessoa/Brasil

FOI NO NATAL




Certa manhã acordei
E comecei a pensar
Na cena que eu vi
E comecei a chorar

Duas crianças catando
No lixo pedaço de pão
No braço trazia sua cama
Uma folha de papelão

Eu fico me perguntando
O que poderemos fazer
Pra ajudar quem precisa
E aliviar seu sofrer

Vi aquelas pessoas
Sem casa para morar
E as suas crianças
Sem brinquedo pra brincar

O velho Papai Noel
Não vai lhe visitar
As estrelas são sua árvore
A rua, o seu lugar

Vamos viver o natal
Este tempo de magia
Levando a nosso próximo
Um pouco de alegria

Hoje fico pensando
Aperta meu coração
Quantas pessoas precisam
De um pedaço de pão.

(LUIZ ESPERANTIVO)
João Pessoa/Brasil

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Baila Comigo



Se Deus quiser
Um dia eu quero ser índio
Viver pelado
Pintado de verde
Num eterno domingo
Ser um bicho preguiça
Espantar turista
E tomar banho de sol
Banho de sol!
Banho de sol!
Sol!...

Se Deus quiser
Um dia acabo voando
Tão banal assim
Como um pardal
Meio de contrabando
Desviar do estilingue
Deixar que me xingue
E tomar banho de sol
Banho de sol!
Banho de sol!
Banho de sol!...

Baila Comigo!
Como se baila na tribo
Baila Comigo!
Lá no meu esconderijo
Ai! Ai! Ai!
Baila Comigo!
Ah! Ah! Uh! Uh!
Como se baila na tribo
Oh! Oh! Baila ba, ba
Baila Comigo!
Lá no meu esconderijo...

Se Deus quiser
Um dia eu viro semente
E quando a chuva
Molhar o jardim
Ah! Eu fico contente
E na primavera
Vou brotar na terra
E tomar banho de sol
Banho de sol!
Banho de sol!
Sol!...

Se Deus quiser
Um dia eu morro bem velha
Na hora "H"
Quando a bomba estourar
Quero ver da janela
E entrar no pacote
De camarote...

E tomar banho de sol
Banho de sol!
Banho de sol!
Banho de sol!...

Baila Comigo!
Como se baila na tribo
Uh! Uh! Uh!
Baila ba, ba
Baila Comigo!
Lá no meu esconderijo
Ai! Ai! Oh!
Baila Comigo!
Ah! Ah! Uh! Uh!
Como se baila na tribo
Baila ba, ba
Baila Comigo!
Lá no meu esconderijo
Ai! Ai! Ai!...

Sol! Sol! Sol!...

E tomar banho de sol
Banho de sol!
Banho de sol!
Banho de sol!...

Ah!
Baila Comigo!
Como se baila na tribo
Baila!
Baila Comigo!
Lá no meu esconderijo
Ai! Ai! Ai!
Ai! Ai! Ai! Ai!
Baila Comigo!
Como se baila na tribo
Baila ba, ba
Baila Comigo!
Lá no meu esconderijo
Ai! Ai! Ai!
Baila Comigo!
Como se baila na tribo
(Que loucura!)
Baila ba, ba
Baila Comigo!
Lá no meu esconderijo
Ai! Ai! Ai!...

Lá no meu esconderijo
Ai! Ai! Ai!...

Rita Lee
Brasil

Final de Ano e Verão em João Pessoa


A jornalista Ruth Avelino, Diretora de Eventos da Secretaria de Comunicação de João Pessoa, embarca essa semana para São Paulo para encontrar com os editores de turismo dos principais veículos daquele estado. Já estão agendadas visitas a Carla Miranda (Estadão), Sílvio Cioff (Folha de São Paulo), Artur Andrade (Panrotas), Wanderley Sanches (Editora Abril), entre outros. A jornalista vai entregar material exclusivo sobre a programação de Final de Ano e Verão promovida pela Prefeitura de João Pessoa. E mais: Atendendo ao convite do empresário Vicente Lemos, durante a viagem a São Paulo, Ruth Avelino também manterá contatos com os profissionais que atuam na área de gastronomia, para divulgar a grande festa de lançamento oficial da Cachaça Volúpia, que ocorre dia 30 deste mês, no bar São Pedro São Paulo.
fonte: RcVips

Há 18 anos morria o cantor Freddie Mercury




Em 24 de novembro de 1991 o mundo perdia uma de suas vozes mais influentes. Farrokh Bommi Bulsara, mais conhecido como Freddie Mercury, morreu há exatos 18 anos vítima de aids aos 45 anos em Londres, na Inglaterra.

Instrumentista exímio - Mercury começou a ter aulas de piano aos 9 anos de idade - o cantor ficou famoso por liderar o grupo Queen com sua possante voz e apresentações teatrais. Canções como We Are the Champions, Somebody to Love, Under Pressure, Radio Ga Ga e Bohemian Rapsody são alguns exemplos de faixas eternizadas com os vocais de Freddie.

Famoso por sua vitalidade no palco, o cantor enfrentou uma degradante batalha contra a doença, que teria sido diagnosticada em 1987 e foi por muito tempo explorada pelos tabloides britânicos. O anúncio oficial sobre o estado do músico foi feito um dia antes de sua morte, no dia 23 de novembro de 1991.

"Quero confirmar que fiz o teste de HIV e tenho aids. Sinto que seria correto manter essa informação pessoalmente para proteger minha privacidade e de todos ao meu redor. No entanto, é hora de todos saberem a verdade esperando que todos se juntem a mim, meus médicos e o mundo inteiro contra essa doença terrível. Minha privacidade é especial e sempre fui famoso por não dar entrevistas. Entendam que isso continuará", disse o cantor em seu anúncio.

Menos de 24 horas após seu comunicado, Mercury morreu em função de uma pneumonia potencializada por sua baixa imunidade causada pela aids. O cantor foi cremado no cemitério Kensal Green em uma cerimônia privada que contou com a presença de amigos, como Elton John e David Bowie.

Com tantos sucessos consagrados e com sua voz única, o cantor assegurou um lugar privilegiado na história do rock como vocalista do Queen, banda que já vendeu cerca de 300 milhões de discos em sua carreira.


Do Portal Terra

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Expofolia em João Pessoa


EXPOFOLIA


2ª Edição da ExpoFolia 2009.
Tema: Carnaval da Cidade.

O evento será realizado nos dias 24 e 25 de Novembro
(Terça e Quarta-feira), Sendo: das 09h às 16hs "Exposiçao";
E das 16hs às 18h Seminário.
Local: Na Intoca - Centro Histórico de João Pessoa.

No último dia (25/Nov) haverá um Show de encerramento,
que tera inicio à partir das 19hs com o 1ª Previa da Garota
Folia 2010; Entrega do Prêmio as 10(Dez) Camisas com
Desing mais bonitos do Carnaval de rua da Cidade(2008 e
2009) e Um grande show dançante.

Toda a informação e programação em
http://meukotidianomulticultural.blogspot.com/?zx=848ca3b163e28494

Entretanto ......no BRASIL



BONS AMIGOS
Lula e Ahmadinejad no Palácio do Itamaraty, em Brasília. O presidente iraniano disse que o brasileiro é um 'bom amigo'

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu nesta segunda-feira (23), em Brasília, o direito do Irã de manter um programa nuclear pacífico, marcando, de forma oficial, a posição do Brasil em um dos temas mais espinhosos das relações internacionais atualmente. Em contrapartida, o presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, declarou apoio à pretensão do Brasil de ingressar no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), ao mesmo tempo em que pediu reformas profundas no grupo.

Em seu discurso, Lula disse sonhar com um Oriente Médio livre de armas nucleares, como ocorre na América Latina, e deixou claro que o Irã deve seguir os acordos internacionais, como o Tratado de Não-Proliferação de Armas Nucleares. “Reconhecemos o direito do Irã de desenvolver um programa nuclear com fins pacíficos e com respeito aos acordos internacionais e esse é o caminho que o Brasil vem trilhando”, afirmou Lula. “Não proliferação e desarmamento nuclear devem andar juntos”, disse.
Fonte:Revista Época

Comentário do blog:A gente quer acreditar!

Assim vai.....PORTUGAL


Economia
“Aumentar impostos é convidar empresários a sair de Portugal”
O presidente do Grupo Jerónimo Martins critica as declarações do governador do Banco de Portugal por ter admitido a hipótese de haver um aumento de impostos em 2011. Alexandre Soares dos Santos afirma que um aumento dos impostos nos próximos tempos é um convite aos empresários para que saiam de Portugal ou para que deixem de investir.

Se melhorar.....ESTRAGA!
Fonte:RTP Noticias
2009-11-23

MAR


Mar
Significas tudo o que nasce das almas molhadas
tantas brincadeiras velozes e desabotoadas
cristais dos sais desbotados das ondas
estilhaços de areia em pó soprado
vagantes estrelas no chão
das ilhas de mim
água viva
amar


Sandoval Fagundes, João Pessoa
segunda-feira, 23 de novembro de 2009
Pintura de Vladimir Kush

Busca


Busca


Busquei a beleza
do por do sol
por toda vida
quando me entristecia
os últimos raios do dia
Ao amanhecer
em minha alegria fria
numa noite de sono,
sem os comentários
dos teus olhos


Riso Maria-S.Paulo-Brasil
Foto montagem de Carla Freire

domingo, 22 de novembro de 2009

Parabéns a RISO MARIA

Amigos e suas......ARTES



Visão

Archidy Picado Filho/João Pessoa/Paraíba/Brasil

Vivo no mais que perfeito presente
Que empurra a gente pra frente,
A de repente sentir-se passado
Como o pasto a passar no gado
Dentro da gente!

Olho o mundo onde tudo está vivo e morto,
Como o velho absorto em pensamentos serenos
A pensar em quão foi bom ter passado pela vida
Sem grandes tormentos.

E a moça em seu vestido de agosto
Tão esvoaçante quanto seu rosto deslumbrante
Desenhado evaporando em nuvens, distante,
Não sabe como está morto o avarento
E seu intento de querer ter tudo só para si, e só.

No fim – e agora é hora – também não restarão
Pensamentos ruins ou querubins,
E tudo será como antes, como é agora,
Em tempos próximos e distantes,
Sem demora.

Somos produtos de passados-presentes
A imaginar futuros-ausentes.

Foto de Carla Freire

sábado, 21 de novembro de 2009

VERGONHA


Fome

Calcula-se que 815 milhões, em todo o mundo sejam vítimas crónica ou grave subnutrição, a maior parte das quais são mulheres e crianças dos países em vias de desenvolvimento.

O flagelo da fome atinge 777 milhões de pessoas nos países em desenvolvimento, 27 milhões nos países em transição (na ex-União Soviética) e 11 milhões nos países desenvolvidos.


A subnutrição crónica, quando não conduz apenas à morte física, mas implica frequentemente uma mutilação grave, nomeadamente a falta de desenvolvimento das células cerebrais nos bebés, e cegueira por falta de vitamina A. Todos os anos, dezenas de milhões de mães gravemente subnutridas dão à luz dezenas de milhões de bebés igualmente ameaçados. (Junho de 2002).


Utopias

Oficialmente as utopias estão mortas, mas a realidade que as alimentou e justificou durante séculos continua bem viva. As desigualdades em todo o mundo, desde o "triunfo" do liberalismo nos anos oitenta, são cada vez maiores. O esbanjamento de recursos nos países mais ricos está a conduzir a humanidade para a sua própria extinção. Como refere Peter Singer, bastava que nestes países, se deixassem de alimentar os animais domésticos à base de cereais e de soja, e estes alimentos fossem distribuídos pelos necessitados, para se pôr fim à fome no mundo.



Solidariedade

Centenas de milhões de pobres e famintos em todo o mundo apelam à solidariedade de todos aqueles que se afogam no consumismo e no desperdício.



Imagine

Imagine um mundo onde o agricultor têm que pagar, todos os anos, direitos de autor pelas sementes geneticamente modificadas que planta, o mesmo sucedendo ao criador de animais que foram geneticamente manipulados.

Futuro

Em 2050 a população mundial deverá ser de 9,2 bilhões e, se não mudar esse quadro, o número de famintos poderá atingir 1,3 bilhões.

Foto de Sebastião Salgado-Brasil

Permanecer



É urgente o amor.
É urgente um barco no mar.

É urgente destruir certas palavras,
ódio, solidão e crueldade,
alguns lamentos,
muitas espadas.

É urgente inventar alegria,
multiplicar os beijos, as searas,
é urgente descobrir rosas e rios
e manhãs claras.

Cai o silêncio nos ombros e a luz
impura, até doer.
É urgente o amor, é urgente
permanecer.


Eugénio de Andrade

POVO DE ANGOLA


POVO DE ANGOLA

Povo de Angola bate no tambor
E você agora tá aonde tô

Para isso acontecer
Fez chover A
Fez chover Z
Fez chover

Para isso acontecer
Deix'eu ver vô
Deix'eu ver você
Deix'eu ver

Valeu Zumbi
Axé

Poema de (Jorge Matheus)-Brasil

SONETO DO DESMANTELO AZUL




Então, pintei de azul os meus sapatos
por não poder de azul pintar as ruas,
depois, vesti meus gestos insensatos
e colori as minhas mãos e as tuas,

Para extinguir em nós o azul ausente
e aprisionar no azul as coisas gratas,
enfim, nós derramamos simplesmente
azul sobre os vestidos e as gravatas.

E afogados em nós, nem nos lembramos
que no excesso que havia em nosso espaço
pudesse haver de azul também cansaço.

E perdidos de azul nos contemplamos
e vimos que entre nós nascia um sul
vertiginosamente azul. Azul.

Carlos Pena Filho/Brasil
Ftotgrafia de Carla Freire