Google+ Followers

terça-feira, 31 de março de 2009

Pérolas da PARAÍBA


Bebida mais consumida no Brasil, não é de hoje que a cachaça tem destaque na música popular brasileira. Seja como "combustível" para compositores ou como "musa" em suas letras, não há época ou gênero musical popular que não tenha cantado em verso e prosa a água-que-o-passarinho-não-bebe.Para fabricar esta bebida tão deliciosa é preciso tempo. A fruta fica durante um ano em fusão na cachaça. Depois dessa etapa, é prensada, retira-se a calda e depois acrescenta a cachaça novamente. O licor ainda é filtrado em algodão antes de ser engarrafado.
Garanto...que estas Cachaças de Frutas são divinas...se fôr á Paraíba não deixe de experimentar
Vá por mim....OXENTE

COMIDAS DA PARAÍBA


ARRUMADINHO DA PARAÍBA

Ingredients:
500 g de feijão verde
300 g de carne de sol ou carne de charque dessalgada e picada em cubinhos pequenos
1 xícara de chá de farinha de mandioca
1 cebola grande picada
2 dentes de alho picados
1 tomate picado em cubinhos
coentro a gosto
2 colheres de sopa de manteiga ou margarina
sal e pimenta a gosto


Modo de fazer:
Cozinhe o feijão sem temperos, só com sal. Numa panela, coloque uma colher de manteiga e refogue a carne já pré-fervida. Frite até dourar. Junte metade da cebola, refogue bem e desligue o fogo. À parte, faça um refogado com metade da cebola, o alho e o tomate, junte o feijão verde e refogue até que pegue o sabor dos temperos, tempere com sal. Em outra panela, prepare uma farofa fritando a farinha com o restante da manteiga, sal e pimenta. Arrume em uma travessa o feijão verde, coloque por cima a carne, e por cima de tudo a farofa. Enfeite com coentro e sirva.

POESIA


A NEVE

Batem leve, levemente,
como quem chama por mim...
Será chuva? Será gente?
Gente não é, certamente
e a chuva não bate assim...

É talvez a ventania;
mas há pouco, há poucochinho,
nem uma agulha bulia
na quieta melancolia
dos pinheiros do caminho...

Quem bate, assim, levemente,
com tão estranha leveza,
que mal se ouve, mal se sente?
Não é chuva, nem é gente,
nem é vento, com certeza.

Fui ver. A neve caía
do azul cinzento do céu,
branca e leve, branca e fria...
Há quanto tempo a não via!
E que saudade, Deus meu!

Olho-a através da vidraça.
Pôs tudo da cor do linho.
Passa gente e, quando passa,
os passos imprime e traça
na brancura do caminho...

Fico olhando esses sinais
da pobre gente que avança,
e noto, por entre os mais,
os traços miniaturais
de uns pezitos de criança...

E descalcinhos, doridos...
a neve deixa inda vê-los,
primeiro, bem definidos,
- depois em sulcos compridos,
porque não podia erguê-los!...

Que quem já é pecador
sofra tormentos... enfim!
Mas as crianças, Senhor,
porque lhes dais tanta dor?!...
Porque padecem assim?!

E uma infinita tristeza,
uma funda turbação
entra em mim, fica em mim presa.
Cai neve na natureza...
– e cai no meu coração.


Augusto Gil - Luar de Janeiro, 1909

Sugestão de VINHO


Descrição de Vinho João Pires Branco 750ml:

João Pires é um vinho branco muito frutado, delicioso e diferente.

Seu engarrafamento é feito na planta da José Maria da Fonseca, produtora de Periquita.

É feito 100% com a casta Moscatel de Setúbal, que lhe confere um aroma tão suave e tão frutado que chega a ter notas florais.

João Pires matura apenas em tanques de inox e, por sua jovialidade, é um vinho que precisa ser consumido imediatamente, para se desfrutar plenamente de seu sabor.

Atende a um paladar e uma necessidade diferente de suavidade e aromas frutados.

País de Origem: Portugal
Beba bem geladinho

Sugestão...CULINÁRIA





Ponha a água ao lume,cuidado com o sal porque a água vai servir para cozer o arroz.Passe os camarões por água para lhes retirar o gelo(assim quando os mergulhar,ela vai retomar a fervura mais rápidamente),e meta-os,só quando esta entrar em ebulição.Quando recomeçar a ferver,conte mais ou menos 2 minutos para camarões médios(tamanho 40/60 ou 60/80).Descasque e ponha as cascas e cabeças a ferver na mesma água que os cozeu,durante pelo menos meia-hora .Se quer espevitar o sabor do marisco,triture com a varinha.Mantenha este caldo ao lume enquanto faz o arroz.
Agora,refogue cebola e alhos picados em azeite,salteie o arroz,um pouco de tomate pelado ou calda(o tomate é opcional),junte o caldo resultante da cozedura dos camarões,coado por um passador de rede fina e,quando estiver quase cozido junte alguns camarões inteiros que vão dar algum colorido ao prato,e finalmente os descascados.Este arroz deve ser servido"malandrinho",por isso ponha mais liquído do que o normal.O ideal é ir adicionando o caldo à medida que vai cozendo,assim não corre o risco de ficar malandreco demais.Depois é meter coentros picados(umas gotas de molho inglês dão um toque especial)transportá-lo rápidamente para a mesa e,começar a comer porque este arroz não tem espera.
Ah!um pouco de piri-piri(pimenta malagueta) se gostar.
E ....Bom Apetite

DANÇAR



Tonificar os músculos, aumentar a flexibilidade, melhorar a postura e contribuir para a memória são apenas alguns dos benefícios que podem ser notados por aqueles que praticam dança. Além de ser bastante prazerosa e proporcionar um condicionamento físico muito bom, a atividade deixa o corpo em forma, eliminando as gorduras extras, e é indicada para pessoas de todas as idades.

A dança é uma ótima atividade pra quem busca aliar saúde e lazer. A parte física é trabalhada com ritmos mais fortes, como samba ou forró, por exemplo. Já os ritmos lentos são voltados para a parte motora, mental e emocional. A atividade é indicada, por exemplo, para pacientes que sofrem de distúrbios comportamentais, como a síndrome do pânico, pois ajuda a pessoa na socialização, no combate à depressão e à timidez, trazendo alegria e elevando a auto-estima.

A dança também ajuda a prevenir doenças. Entre os benefícios, diminui a pressão arterial, melhora a circulação periférica, auxilia na perda calórica, fortalecimento muscular, proteção das articulações, atenua as dores e pode prevenir problemas futuros posturais e de artrose.

Ai..... PARAÍBA



PÔR DE SOL na Praia do Jacaré-João Pessoa
(foto de Carla Freire)

BRASIL

PORTUGAL

ANGOLA

NOTÍCIAS BOAS


Um estudo divulgado esta sexta-feira revela que o número de ninhos ocupados por cegonhas-brancas em Portugal aumentou mais de cinco vezes nos últimos 20 anos, existindo perto de 7.700, o que comprova a recuperação da espécie.
Os resultados são do V Censo Nacional de cegonha-branca, coordenado pela Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA) e pelo Instituto da Conservação da Natureza (ICN), realizado entre Março e Maio de 2004, que mostra a existência de mais de 7.685 ninhos, em contraste com os 1.500 encontrados em 1984.

A cegonha-branca é uma ave que se encontra mais no Sul do país, sendo uma presença constante nas searas e pousios alentejanos e nos arrozais. Os distritos de Beja, Évora, Setúbal, Santarém e Portalegre somam 82 por cento dos ninhos existentes.

Tal como em toda a Europa Ocidental, a população portuguesa de Cegonha-branca sofreu uma forte regressão durante décadas, tendência invertida apenas no final da década de 80.

Para a Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves, o aumento do número de cegonhas-brancas em Portugal deve-se ao fim de um período de seca de várias décadas nas suas áreas de invernada africanas e à proliferação na Península Ibérica de uma espécie exótica invasora, o lagostim-vermelho da Louisiana, que passou a constituir a base da sua alimentação.

"Foi este crustáceo que permitiu que várias dezenas de milhares de cegonhas-brancas passassem a residir em Portugal, evitando a mortalidade associada à migração e invernada na África sub- saariana", explica a SPEA.

A organização sublinha também os esforços de conservação da espécie ocorridos nas duas últimas décadas, entre os quais a sensibilidade ambiental das populações e o esforço coordenado do ICN e de vários agentes sociais e económicos, como as companhias de distribuição e transporte de electricidade (EDP e REN).

A SPEA é uma organização não-governamental de ambiente que trabalha para a conservação das aves e dos seus habitats em Portugal.

(foto de Viviana)

segunda-feira, 30 de março de 2009

TOME.....MÚSICA

PABLO NERUDA


Morre lentamente
Morre lentamente,
quem não viaja, quem não lê, quem não ouve música,
quem não encontra graça em si mesmo.
Morre lentamente,
quem destrói o seu amor-próprio, quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente ,
quem se transforma em escravo do hábito,
repetindo todos os dias os mesmos trajetos, quem não muda de marca,
não se arrisca a vestir uma nova cor, ou não conversa com quem não conhece.
Morre lentamente,
quem faz da televisão o seu guru.
Morre lentamente,
quem evita uma paixão,
quem prefere o negro sobre o branco e
os pontos sobre os "is" em detrimento de um redemoinho de emoções, justamente as que resgatam o brilho dos olhos,
sorrisos dos bocejos,
corações aos tropeços e sentimentos.
Morre lentamente,
quem não vira a mesa quando está infeliz com o seu trabalho,
quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho,
quem não se permite pelo menos uma vez na vida fugir dos conselhos sensatos.
Morre lentamente,
quem passa os dias queixando-se da sua má sorte ou da chuva incessante.
Morre lentamente,
quem abandona um projeto antes de iniciá-lo,
não pergunta sobre um assunto que desconhece,
ou não responde quando lhe indagam sobre algo que sabe.

Evitemos a morte em doses suaves,
recordando sempre que estar vivo
exige um esforço muito maior que o simples facto de respirar.

Pablo Neruda
Caricatura by IZIDRO

CONTOS


El cuento más corto y más bonito que has leído en tu vida...


Había una vez una muchacha que le preguntó a un chico si se quería casar con ella. El chico dijo "no". Y la muchacha vivió feliz para siempre, sin lavar, cocinar, planchar para nadie, saliendo con sus amigas, tirándose a numerosos hombres y sin trabajar para ninguno. FIN

El problema es que de pequeñitas, no os contaban estos cuentos.

CURIOSIDADES



Viagra em Chip



Para você não ter mais que se preocupar com o timing na hora do rala e rola, cientistas estão desenvolvendo um chip que funciona mais ou menos como o Viagra quando implantado no seu corpo.

Ele estimula regiões do cérebro relacionadas ao prazer, deixando o usuário sexualmente ativo. O estudo está sendo conduzido por pesquisadores da Universidade de Oxford, mas ainda não foi testado em humanos.

Segundo os cientistas, o projeto é algo que deve funcionar, não só para buscar o prazer, mas como para curar doenças, em até dez anos.

Já imaginou implantar um chip no cérebro só para não ter nunca mais dor de cabeça?

AMOR...e uma CABANA

AMIGOS......e suas ARTES



Autor:VANT VAZ
João Pessoa-BRASIL

AMBIENTE


Países em extinção
Com o nível do mar cada vez mais alto, ilhas paradisíacas do Pacífico Sul estão desaparecendo. E os moradores estão se transformando nos primeiros refugiados do aquecimento global
Texto Giovana Vitola

As ilhas paradisíacas do Pacífico Sul estão sumindo. Em poucos anos, algumas delas devem ficar desertas: cansados das freqüentes inundações, os moradores estão indo embora. Entre as 12 nações-arquipélagos da região, duas estão em alerta máximo. Com a elevação do nível do mar, os países de Kiribati e Tuvalu podem ser engolidos pelo mar, saindo do mapa de vez até o fim deste século. Hoje, quem mora nessas ilhas conhece paisagens bem diferentes das fotos turísticas. No começo do ano, marés altas provocam inundações a toda hora. A água invade as casas e causa erosões. Com as raízes atacadas dia a dia pelas ondas, as palmeiras estão caindo. Quando a maré sobe, poças d’água surgem repentinamente, espalhando o lixo pelas ruas de areia. Em algumas regiões, já é possível atingir água cavando apenas 1 metro de profundidade. O governo dos dois países já preparou um programa de emergência para arranjar alojamento para seus 115 mil moradores, os primeiros refugiados do aquecimento global.
O fenômeno é uma das provas dramáticas do aquecimento da Terra. Com a temperatura do planeta 0,7 oC maior no último século, as calotas polares derretem e o nível do mar aumenta. No Alasca, as ruas feitas de gelo há séculos estão esburacando e derretendo. Na Antártida, placas de gelo do tamanho de cidades se descolam com freqüência cada vez maior. O efeito é ainda mais incômodo para quem vive em lugares como Tuvalu, o 4o menor país do mundo, onde o ponto culminante tem 5 metros de altura e a largura das ilhas não passa de 500 metros. “Com todos os fatores que temos vivenciado, Tuvalu irá lentamente erodir nos próximos 40 ou 50 anos”, afirma Tauala Katea, cientista do centro meteorológico de Tuvalu. A ironia é que pequenas nações como essa contribuem pouquíssimo com a poluição ou com o aquecimento do planeta.
Em Tuvalu e Kiribati, os moradores importam 80% do que comem. A economia de Tuvalu depende da remessa de dinheiro dos tuvaluanos que moram no exterior e da venda do domínio de internet “.tv”. Em 1998, o país recebeu de emissoras de televisão americanas US$ 50 milhões por poderem usar o “.tv” por 12 anos no endereço da internet. Até o século 19, Tuvalu foi colônia espanhola, com milhares de habitantes levados ao Peru e à Bolívia como escravos. Depois, os dois países se tornaram colônias britânicas – Tuvalu faz parte da monarquia britânica até hoje. Durante as batalhas do Pacífico na 2ª Guerra Mundial, Kiribati foi invadido pelo Japão. Depois, abrigou testes nuclea res americanos. Aconteceram ali testes de bombas de hidrogênio que assustaram o mundo na década de 1950 por serem 5 mil vezes mais potentes que a bomba lançada em Hiroshima em 1945. Hoje, os dois países abrigam pescadores e artesãos. As mulheres andam na rua com suas blusas e saias largas e coloridas, e até as autoridades vestem-se à vontade, como o presidente de Kiribati, que concede entrevistas de camiseta simples e chinelo. As crianças passam o dia nos coqueiros e na praia. No entanto, todos percebem o que está acontecendo com o seu paraíso particular.
Por isso, um sentimento de melancolia toma a comunidade tuvaluana na Nova Zelândia. Fala Haulangi, uma líder dos exilados de Tuvalu em Auckland, resolveu montar um programa de rádio semanal sobre a cultura tuvaluana. Sua principal preocupação é os moradores perderem a identidade com o país. “O que eu vou ser se meu país desaparecer? Sou de Tuvalu, um país que não existe mais”, diz ela. Leilani Gosschalk, uma tuvaluana que também vive na Austrália, passou a infância na ilha de Tepuka Savilivili, que hoje não existe mais. “Acho inevitável que nossa cultura e nossa terra acabem”, diz.

Fonte:Revista Super Interessante
Janeiro 2007

Reflexões


“ (…) Apesar de todas as amizades, sempre na vida estamos sozinhos; o que é mais grave, mais doloroso, exactamente como o que é mais belo, passa-se apenas connosco. Entre um homem e outro homem há barreiras que nunca se transpõem. Só sabemos, seguramente, de uma amizade ou de um amor: o que temos pelos outros. De que os outros nos amem nunca poderemos estar certos”.

(Agostinho da Silva, “Sete Cartas a um Jovem Filósofo – Seguidas de Outros Documentos para o Estudo de José Kertchy Navarro”, I, VII, edição da Ulmeiro, 1990)

Pensamentos



Sabias que as três coisas mais difíceis de dizer são:
Amo-te,
desculpa
e
ajuda-me?

CARICATURAS



ARIANO SUASSUNA
By
CRISTOVAM TADEU

domingo, 29 de março de 2009

Noticias do BLOG


O RCVIPS em Portugal
João Pessoa-Brasil
25.03.2009 às 11h:32

Chegaram notícias boas direto de terras portuguesas. Carla Freire, que reside em Vale de Cambra, Aveiro, Portugal nos informou que o portal RCVIPS faz sucesso entre portugueses e brasileiros que residem por lá. Em seu blog Coisas e Loisas, ela faz referências à Paraíba e destaca o RCVIPS. Para conhecer um pouco mais sobre o trabalho de Carla Freire, acessem: http://coisaseloisas-carla.blogspot.com/

sábado, 28 de março de 2009

CARTOON



kit Anti-Pecado
de CARLOS SÊCO

GRANDES....POETAS


De quantas graças tinha, a Natureza

De quantas graças tinha, a Natureza
Fez um belo e riquíssimo tesouro,
E com rubis e rosas, neve e ouro,
Formou sublime e angélica beleza.

Pôs na boca os rubis, e na pureza
Do belo rosto as rosas, por quem mouro;
No cabelo o valor do metal louro;
No peito a neve em que a alma tenho acesa.

Mas nos olhos mostrou quanto podia,
E fez deles um sol, onde se apura
A luz mais clara que a do claro dia.

Enfim, Senhora, em vossa compostura
Ela a apurar chegou quanto sabia
De ouro, rosas, rubis, neve e luz pura.

Luís de Camões

MULHERES do MUNDO

MEMÓRIA....CARMEN MIRANDA


Maria do Carmo Miranda da Cunha (1909-1955), cujo pseudónimo era Carmen Miranda, nasceu na Freguesia de Várzea da Ovelha, concelho de Marco de Canaveses, antiga São Martinho da Aliviada, no Distrito do Porto.Rumou ao Brasil com apenas 10 meses de idade.
Em pouco mais de 15 anos, a "Embaixadora do Samba" gravou quase 300 músicas em mais de 140 discos, além de 14 filmes e milhares de shows, sobretudo no Brasil e nos Estados Unidos, onde era conhecida como "Brazilian Bombshell".
“Na sua origem, ela muito representa aquilo que foi a saga da emigração portuguesa para o Brasil. E aqui as famílias portuguesas se desenvolveram, prosperaram e deram um contributo único para a cultura brasileira.

POESIAS


"Benditas as coisas que não sei

Os lugares onde não fui
Os gostos que não provei
Meus verdes ainda não maduros
Os espaços que ainda procuro
Nos amores que nunca encontrei
Benditas as coisas que não sejam
Benditas...

A vida é curta mas enquanto durar
Posso durante um minuto ou mais
Te beijar pra sempre
O amor não mente,
não mente jamais
E desconhece no relógio o velho futuro
O tempo escorre num piscar de olhos
E dura muito além dos nossos sonhos mais puros...

Bom é não saber
O quanto a vida dura
Ou se estarei aqui
na primavera futura
Posso brincar de eternidade agora
Sem culpa nenhuma...

Benditas as coisas que não sei
Os lugares onde não fui
Os gostos que não provei
Meus verdes ainda não maduros
Os espaços que ainda procuro
Nos amores que nunca encontrei
Benditas as coisas qu não sejam
Benditas... "

(Benditas - Zélia Duncan / Mart'nália)
enviada pelo amigo Edimilson Cantalice-João Pessoa

EU.....e os GATOS


Não sei se somos "bruxos" ou poetas...
Veneramos a vida em cada ser,
Mas temos um "fraquinho" e tem de haver
Um gato em nossas vidas inconcretas!
.
Um gato entre outros tantos, tantos mais,
Que será sempre o nosso confidente,
Um gato a dar-nos mais que muita gente,
A dizer-nos que somos `speciais!
.
A pura sedução, o doce enlevo,
O prazer de estar vivo e ser quem é,
Olhar perscrutador e sempre alerta...
.
Sei que este amor é puro e até me atrevo
A amar o gato em mim e a ter fé
Nesse amor que me dá... e sei estar certa!

Maria João Brito de Sousa

sexta-feira, 27 de março de 2009

DIA MUNDIAL do TEATRO-27 de MARÇO

PENSAMENTOS


Que eu nao perca a vontade de ter grandes amigos, mesmo
sabendo que, com as voltas do mundo, eles acabam indo embora de nossas vidas"
Ariano Suassuna

GÉNIOS......ARIANO SUASSUNA


Ariano Villar Suassuna nasceu no dia 16/06/1927 no Palácio da Redenção, na Paraíba(PB). Oitavo filho dos nove irmãos, seu pai, João Urbano Pessoa de Vasconcellos Suassuna, era governador da Paraíba. Sua mãe chamava-se Rita de Cássia Dantas Villar. Três anos depois, então deputado federal, o pai do autor é assassinado no centro da cidade do Rio de Janeiro (RJ). A fim de evitar inimigos, a família muda-se constantemente. Em 1933, mudam-se para Taperoá, no sertão dos Cariris Velhos da Paraíba.

De 1934 a 1937, inicia seus estudos e entra para o internato do Colégio Americano Batista, no Recife. Após concluir o curso Clássico, começa o curso de Direito.

Em 1947, escreveu sua primeira peça teatral, "Uma mulher vestida de sol", e ganhou o prêmio Nicolau Carlos Magno. Continua escrevendo para teatro, sempre elogiado, até que, em 1955, escreve um de seus inúmeros sucessos, "Auto da Compadecida", texto baseado em três narrativas do Romanceiro nordestino.

Casa-se, em 1957, com Zélia de Andrade Lima, que lhe deu 6 filhos. Tem 13 netos.

Em 1958, começa a escrever "Romance d'A Pedra do Reino e o príncipe do sangue do vai-e-volta". Estuda Filosofia na Universidade Católica de Pernambuco. Já famoso, funda, ao lado de Hermilo Borba Filho, o Teatro Popular do Nordeste.

Em 1964, publica "O santo e a porca". Membro fundador do Conselho Nacional de Cultura; Diretor do Departamento de Extensão Cultural da Universidade Federal de Pernambuco, começa a articular o Movimento Armorial, que defenderia a criação de uma arte erudita nordestina a partir de suas raízes populares.

Em 1970, conclui o "Romance d'A Pedra do Reino". Com um concerto "Três séculos de música nordestina — do Barroco ao Armorial" — e uma exposição de gravuras, pinturas e esculturas, lança no Recife, em 18 de outubro, o Movimento Armorial.

"A Pedra do Reino" sai em agosto de 1971. No ano seguinte, ganha o Prêmio Nacional de Ficção do Instituto Nacional do Livro. Eleito para ocupar a cadeira 32 da Academia Brasileira de Letras, toma posse no dia 09/08/1990.

Em São José do Belmonte (PE), no ano de 1993, realiza-se em maio a primeira festa da Pedra do Reino, uma cavalgada na qual os participantes, posteriormente, passariam a usar trajes como os descritos no romance.

Em 1995 é nomeado, pelo governador Miguel Arraes, secretário estadual da Cultura.

Estréia, em 1996, no Teatro do Parque, no Recife, a série "Grande cantoria", aula espetáculo que reúne violeiros e repentistas. O biografado, ao violão, cantou um romance de inspiração sebastianista que aprendera na infância.

A peça "A história de amor de Romeu e Julieta" é publicada no suplemento "Mais!" do jornal "Folha de São Paulo", em 1997. No ano seguinte, participa do lançamento do CD "A poesia viva de Ariano Suassuna".

"O Auto da Compadecida" é exibida em quatro capítulos pela Rede Globo de Televisão, em 1999.

Em 2000, escritor recebe o título de doutor honoris causa da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Em comemoração aos 500 anos do Descobrimento do Brasil, apresenta no canal GNT o programa "Folia Geral", sobre as origens do carnaval. Toma posse, no dia 09 de outubro, na cadeira 35 da Academia Paraibana de Letras.

Ao completar 80 anos de idade, em 2007, o autor foi homenageado em todo o Brasil pela grandeza de sua trabalho.

TOME........MÚSICA


Balancê
SARA TAVARES

E para matar a sede......CAIPIRINHA


Preparação
Corte fora as duas extremidades do limão, em seguida, corte-o ao meio e retire todo o miolo (parte branca central). Corte o restante em pedaços pequenos.
Coloque os pedaços de limão em um copo, adicione o açúcar e com um pilão, soque o limão misturando-o bem com o açúcar.
Em seguida, adicione bastante gêlo moído de forma que o copo fique praticamente cheio.
Adicione a cachaça brasileira, vulgarmente conhecida como «pinga», até cobrir quase todo o copo. Em seguida, coloque a água, uma ou duas colheres de sopa.
Tampe a coqueteleira e chacoalhe afim de misturar bem os ingredientes. Se não tiver uma coqueteleira, pode colocar um outro copo do mesmo tamanho por cima do copo da caipirinha, com muito cuidado, e chacoalhar.
Está pronto para servir. Pode aproveitar as extremidades que foram cortadas ao início para enfeitar o copo.

Os Doces do Nordeste do BRASIL





CARTOLA
INGREDIENTES:

2 bananas pratas maduras, 1 colher de sobremesa de manteiga, 2 fatias grossas de queijo do sertão, 1 xícara de açúcar cristal, 2 colheres de sopa de canela.

PREPARO:

- Frite as bananas na manteiga, até que fiquem bem douradas. Coloque já no prato em que vai ser servida.
- Derreta o queijo, no fogo (se necessário use um pouquinho de leite). Esse queijo deve cobrir completamente as bananas.
- Misture açúcar e canela. E cubra o queijo, generosamente. Tanto que sobre bastante, pelos lados do prato - posto que, com freqüência, se usa esse excesso para besuntar a garfada dessa banana com queijo. Sirva imediatamente.

Em João Pessoa-Paraíba o melhor lugar para comer a Cartola é no Restaurante MANGAI

Há Lugares........ASSIM

FESTIM-Um Grande Festival espalhado por 7 Municípios




Mais uma iniciativa saída da cabeça da d'Orfeu, o Festim é um novo festival que desenvolve e alarga algumas das iniciativas que esta associação de Águeda tem apresentado nos últimos anos, espalhando-as também pelos municípios vizinhos. O programa oficial:

«festim - festival intermunicipal de músicas do mundo

29 Maio a 24 Julho 2009 | 1ª edição
20 concertos em 7 municípios

Hermeto Pascoal (Brasil; na foto) | Kepa Junkera (País Basco, Espanha) | Manecas Costa (Guiné-Bissau) | Le Vent du Nord (Québec, Canadá) | Musafir - Gypsies of Rajasthan (Índia) | Amsterdam Klezmer Band (Holanda) | Antonio Rivas & sus Vallenatos (Colômbia)

ÁGUEDA - SEVER DO VOUGA - ESTARREJA – OVAR
OLIVEIRA DO BAIRRO - ALBERGARIA-A-VELHA - AVEIRO



O festim - festival intermunicipal de músicas do mundo, em 1ª edição, chega ao público de 29 de Maio a 24 de Julho, com um cartaz partilhado que inclui nomes grandes vindos de vários continentes. O festival percorrerá, durante dois meses, os municípios de Águeda, Sever do Vouga, Estarreja, Ovar, Oliveira do Bairro, Albergaria-a-Velha e Aveiro, numa iniciativa da d’Orfeu Associação Cultural em parceria com as autarquias envolvidas.

Este novo festival intermunicipal recebe a herança dos festivais temáticos de músicas do mundo - uma área de paixão nas programações d’Orfeu -, que esta associação vinha programando em Águeda desde 2002. O festival doravante em rede, estrutura-se numa programação partilhada entre municípios vizinhos - Águeda, Sever do Vouga, Estarreja e Ovar são os pioneiros, num projecto a quatro anos -, a que se juntam mais três municípios nesta edição de 2009 (Oliveira de Bairro, Albergaria-a-Velha e Aveiro). Um cartaz à escala mundial promete singular festa em toda a região: a programação inclui, nesta 1ª edição, grandes nomes vindos do Canadá, Colômbia, Brasil, Holanda, Espanha, Guiné-Bissau e Índia.

O festim - festival intermunicipal de músicas do mundo, que decorrerá anualmente nos meses de Junho e Julho, é fruto de uma parceria abrangente com as quatro autarquias principais, suportada por um Acordo Tripartido com o Ministério da Cultura / Direcção-Geral das Artes. O objectivo é expandir o know-how cultural da d’Orfeu a um tecido de municípios vizinhos, incluindo Águeda como origem incontornável e principal beneficiária do projecto, e aplicar no terreno as suas teses de trabalho em rede, nomeadamente na extensão dos seus formatos e largamente reconhecidas práticas culturais.

O novo festival intermunicipal é o laço que une esta parceria intermunicipal.
Vem aí um verdadeiro festim!

PROGRAMA COMPLETO


Sex 29 Maio Manecas Costa ESTARREJA
Sex 5 Jun Antonio Rivas OVAR
Sáb 6 Jun Antonio Rivas SEVER DO VOUGA
Qua 10 Jun Amsterdam Klezmer Band ESTARREJA
Sex 12 Jun Amsterdam Klezmer Band OVAR
Sáb 13 Jun Amsterdam Klezmer Band SEVER DO VOUGA
Qui 18 Jun Hermeto Pascoal ESTARREJA
Sex 19 Jun Hermeto Pascoal OVAR
Sáb 20 Jun Hermeto Pascoal SEVER DO VOUGA
Sex 26 Jun Le Vent du Nord OVAR
Sáb 27 Jun Le Vent du Nord SEVER DO VOUGA
Sex 3 Jul Musafir - Gypsies of Rajasthan ESTARREJA
Sáb 4 Jul Musafir - Gypsies of Rajasthan SEVER DO VOUGA
Qui 9 Jul Kepa Junkera ÁGUEDA
Qua 15 Jul Manecas Costa OLIVEIRA DO BAIRRO
Qui 16 Jul Manecas Costa ÁGUEDA
Sex 17 Jul Manecas Costa OVAR
Sáb 18 Jul Manecas Costa ALBERGARIA-A-VELHA
Qui 23 Jul Amsterdam Klezmer Band ÁGUEDA
Sex 24 Jul Amsterdam Klezmer Band AVEIRO

PENSAMENTOS


Sofremos demasiado pelo pouco que nos falta e alegramo-nos pouco pelo muito que temos...
(W. Shakespeare)

CARTAZES

POESIAS


Hoje, ao acordar, logo olhei pela janela...
Vi flores tão lindas, tal qual lúcida quimera
E uma borboleta no papel de sentinela,
A mim anunciava: Já chegou a primavera!

E assim abriu suas asas, bocejando uma canção,
Voou à minha frente, acompanhei com meu olhar.
O desenho de suas asas, tão perfeito em seu padrão,
Lembrava-me os lírios e a sua perfeição.

Orquídeas,girassóis, tulipas, lindas rosas,
Crisântemos tão sérios, hortências mais dengosas,
Margaridas lindas, violetas majestosas,

Dançavam pros meus olhos, e encantavam minha vista,
Fazendo-me entender que esta cena imprevista,
Era um prenúncio bom! A obra-prima de um Artista.

Wesley de Andrade

(foto de Carla Freire)

quinta-feira, 26 de março de 2009

Comidas de.....ANGOLA


MUAMBA de GALINHA

A pedido de várias famílias aqui vai a receita de muamba de galinha – receita vinda da fazenda de Catála Cassála, margem esquerda do rio Kuanza,em Angola

1 galinha
1 cebola
1/2 lata de muamba
2 courgetes
2 beringelas
15 kiabos
Sal
Gindungo
Óleo de palma
Farinha de fubá

Cortar a galinha aos pedaços, e fritar ligeiramente em óleo de palma, temperando com sal.
Num outro tacho, colocar as beringelas e courgetes sem casca, água e sal, e deixar levantar fervura. Guardar a água da fervura.
Retirar o talo duro dos kiabos, cortá-los longidutinalmente, e colocar a ferver em água e sal, num outro tacho. Guardar a água da fervura.
Retomar a galinha e juntar cebola picada, deixar alourar, juntar os legumes cozidos, a massa para muamba, juntar também aos poucos a água da fervura dos kiabos, esta água tem a propriedade de se converter em "gel". Deixar cozinhar lentamente, temperar com gindungo, e acrescentar água da fervura dos restantes legumes, caso seja necessário.

Acompanhamento:
Num tacho, ferver água com sal, juntar aos poucos a fubá, reduzir ao calor, mexer energicamente com um pau (quem preferir, com uma varinha mágica resistente), até a farinha incorporar uma bola de cor mais escura que se vai separando do fundo do tacho

POETAS AFRICANOS



SUKRATO
(Boavista, Cabo Verde, 1951)


NÃO ME LAVEM O ROSTO


Não me lavem os olhos!
Não; já disse não!
Deixai-me ver,
sentir, viver tudo em mim
mas não me lavem os olhos!

Deixai-me crer por mim
aceitar a realidade
mas não me barrem a caminhada
não me lavem os olhos!

Deixai-me sofrer realidade
ao sonhar fraternidade
mas... por favor...
não me lavem os olhos!

AMIGOS......e suas ARTES



Archidy Picado Filho no Violão

João Pessoa-Paraíba-Brasil

AS ROSAS



Ofereço uma rosa



A quem me deu perfume,
A quem me deu sentido,
A quem só me fez bem.
Ofereço uma rosa,
Aqueles que sorriram comigo,
Aqueles que comigo partilharam lágrimas,
Aqueles que souberam de minha existência.
Ofereço uma rosa,
Aos nobres do sentir,
Aos ricos do viver,
Aos imperadores do amor.
Ofereço uma simples rosa,
Aqueles que simplesmente foram amigos,
Que ternamente fizeram do silêncio sair sons,
Que cantaram comigo,
Que me olharam, e me sentiram.
Ofereço a minha rosa,
Àqueles realmente interessantes!

Capas de Disco

AMAR ......É

Ai....PARAÍBA

quarta-feira, 25 de março de 2009

O que te faz ......FELIZ?




O que te faz feliz ? - Arnaldo Antunes



“A lua, a praia, o mar
A rua, a saia, amar…
Um doce, uma dança, um beijo
Ou é a goiabada com queijo?

Afinal, o que faz você feliz?

Chocolate, paixão, dormir cedo, acordar tarde,
Arroz com feijão, matar a saudade…
O aumento, a casa, o carro que você sempre quis
Ou são os sonhos que te fazem feliz?

Um filme, um dia, uma semana,
Um bem, um biquíni, a grama…
Dormir na rede, matar a sede, ler…
Ou viver um romance?

O que faz você feliz?
Um lápis, uma letra, uma conversa boa
Um cafuné, café com leite, rir à toa,
Um pássaro, ser dono do seu nariz…
Ou será um choro que te faz feliz?

A causa, a pausa, o sorvete,
Sentir o vento, esquecer o tempo
O sal, o sol, um som
O ar, a pessoa ou o lugar?

Agora me diz
O que faz você feliz?”

SAUDADE

Gastronomia.....NORDESTINA


Moqueca de Peixe com Pirão, Farofa de dendê e Arroz de coco.


Ingredientes:
8 postas de cação
1/ 2 kg de tomate
3 cebolas grandes
1 pimentão verde
1 pimentão vermelho
1 pimentão amarelo
1/ 2 maço de coentro (ou menos se preferir)
1 vidro de leite de coco (200 ml)
2 xícaras de farinha de mandioca
1/ 3 xícara de azeite de dendê
Sal
Limão
Pimenta dedo de moça

Preparo:
Moqueca:
Corte em rodelas o tomate, a cebola, os pimentões e a pimenta. Reserve.
Lave as postas de cação, tempere com limão, sal e reserve.
Em uma panela de barro, coloque uma camada de tomate, cebola e pimentão, salpique sal e coentro e, em seguida, disponha uma camada de peixe.
Repita o processo até usar seis postas de peixe.
Termine com uma camada de tomates, cebolas e pimentões.
Despeje o leite de coco, duas xícaras (chá) de azeite de dendê e deixe em fogo baixo por 20 minutos. Leve à mesa ainda fervendo.
Farofa de Dendê:
Em uma frigideira, coloque uma xícara (chá) de azeite de dendê, uma xícara (chá) de cebola ralada e deixe dourar.
Acrescente uma xícara (chá) de farinha de mandioca, o sal e vá mexendo até ficar com uma cor alaranjada.
Pirão de Peixe:
Em outra panela, coloque duas postas de peixe e o que restar dos tomates, cebolas, coentro, pimenta e sal.
Cozinhe por 40 minutos ou até que o peixe fique esfarelado.
Abaixe o fogo e vá colocando, aos poucos, uma xícara (chá) de farinha de mandioca até dar a consistência de um pirão.
Deixe cozinhar por mais três minutos.
Rende 5 porções.
Sirva com Arroz com Coco

Simplesmente
DIVINO

POESIA....Africana



MARIA ALEXANDRE DÁSKALOS
(ANGOLA)




O meu amor está triste
e enche-me de cuidados.

Onde está a almofada dos bilros?
Já provaste os dendêns com açucar?

Não reduzas a valsa a um cheese-burguer
num pub desconhecido!

Ele disse-me - não canses os olhos nos bilros.

O meu amor está triste e enche-me de cuidados.


(Do tempo suspenso, 1998)

TOME............MÚSICA

Simplesmente......LENINE
O Homem dos Olhos de Raio X

ORIXÁS



Orixás

Música: Chico César
Letra: Alice Ruiz


viajei por tantos mares
atravessei tantos mundos
tornei-me um deus desterrado
dentro de um outro terreiro
um a um perdi meus reinos
meus tesouros meus assuntos
mas serei um deus guerreiro.
mesmo que um navio negreiro
me leve pra outro mundo
sou oxum e iemanjá
sou os ventos de iansã
beleza, força, coragem
todas na grande viagem
vem junto obá e nanã
sou ogum e sou xangô
sou oxóssi o caçador
ferro, fogo e paciência
levados pra terra estranha
sem hoje, só, amanhã

BAILARINAS




bailarinas

essas bailarinas que dançam
no meu trajecto de comboio
em todas as manhãs
estão nuas e são nuas
e bailam ao sabor das intempéries
e não se constipam
mas quando morrem
simplesmente morrem
e há lirismo na sua morte
porque caem de pé
e são etéreas.

Será que existe um céu das árvores?


Ozias Filho – Brasil